COBERTURA ESPECIAL - Riots - Segurança

16 de Dezembro, 2019 - 21:40 ( Brasília )

GHL- ONU descreve múltiplas violações de direitos humanos durante protestos no Chile

Inclui o report da Comissão de Direitos Humanos da ONU


 

 United Nations
 


O Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos (ACNUDH) divulgou na sexta-feira (13DEZ2019) um informe sobre a missão enviada ao Chile entre os dias 30 de outubro e 22 de novembro. De acordo com o documento, a polícia chilena e as forças armadas violaram as normas internacionais sobre controle de assembleias e o uso da força durante os protestos massivos e o estado de emergência.

O informe de 30 páginas foi elaborado pela equipe do Escritório que investigou a situação em sete regiões chilenas durante as três primeiras semanas de novembro. O documento detalha extensas alegações – com exemplos específicos – de tortura, maus tratos, violação e outras formas de violência sexual por parte da polícia contra pessoas detidas, muitas arbitrariamente. Segundo informações oficiais, mais de 28 mil pessoas foram detidas entre 18 de outubro e 6 de dezembro, embora a maioria tenha sido colocada em liberdade.

A equipe se reuniu e recebeu ampla cooperação de um grande número de autoridades locais e nacionais, incluindo de ministérios, governadores, prefeitos, representantes do poder judiciário, defensoria penal pública e ministério público, serviço médico legal e da polícia chilena. Além disso, recebeu apoio do Instituto Nacional de Direitos Humanos e da Defensoria da Infância e se reuniu com mais de 300 membros da sociedade civil.

Foram realizadas 235 entrevistas a vítimas de presumidas violações de direitos humanos, incluindo manifestantes feridos e presos e seus familiares, e realizou 60 entrevistas com policiais, incluindo alguns feridos durante os protestos. A equipe teve livre acesso a hospitais e centros de saúde e foi permitido entrevistar pessoas feridas durante as manifestações.

Também recebeu acesso rápido e irrestrito a cárceres, incluindo delegacias de polícia e presídios, assim como pessoas privadas de liberdade, que foram entrevistadas em privado, e também teve acesso a informes e registros relevantes.

O documento relata que, a partir de informação recolhida com ampla variedade de fontes, “os policiais descumpriram, de forma reiterada, com o dever de distinguir entre as pessoas que se manifestavam pacificamente dos manifestantes violentos”.

Durante a missão, a equipe documentou 113 casos específicos de tortura e maus tratos e 24 casos de violência sexual contra mulheres, homens e jovens adolescentes, cometidos por policiais e militares. Segundo o documento, as investigações sobre as mortes apontam que a conduta das forças locais contrariou “as normas e padrões internacionais sobre o uso da força e pode, dependendo das circunstâncias, constituir uma execução extrajudicial”.

O Escritório recomendou uma série de medidas específicas para corrigir as práticas policiais e fez um chamado ao governo chileno para “assegurar que as forças de segurança garantam a prestação de contas em relação às violações de direitos humanos e reconheçam estas violações”.

O informe completo está disponível em inglês (aqui) e espanhol (aqui).

 

UN Human Rights Report Chil... by nelson during on Scribd



Outras coberturas especiais


Russia Docs

Russia Docs

Última atualização 03 DEZ, 11:11

MAIS LIDAS

Riots