COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Aviação

01 de Junho, 2020 - 11:00 ( Brasília )

FAB - Ações de transporte aéreo na Operação COVID-19


FAB transporta mais de 20 mil unidades de Equipamentos de Proteção Individual - Aeronave C-105 Amazonas decolou nesta quinta (28) do Rio de Janeiro (RJ) com destino a Belém (PA) transportando luvas, macacões e fitas adesivas multiuso

Tenente Cristiane E Tenente-Coronel Santana

O transporte de insumos para o combate ao novo Coronavírus se mantém entre as ações realizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB). Diante deste esforço, nesta quinta-feira (28), ocorreu mais uma missão de Transporte Aéreo Logístico do Rio de Janeiro (RJ) para Belém (PA).

A aeronave C-105 Amazonas, operada pelo Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1°/15º GAV) – Esquadrão Onça, decolou da Ala 11 – Base Aérea do Galeão, às 15 horas (horário de Brasília) com mais de uma tonelada de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Foram transportadas 16.840 luvas cirúrgicas; 2.000 luvas nitrílicas; 1.119 macacões Tyvek e 975 silver tape (fita adesiva multiuso), totalizando 20.934 itens.

O avião pousou às 21h05 na Ala 9 – Base Aérea de Belém. Um dos pilotos da aeronave, Tenente Aviador Isaac Luiz Matias de Santana, afirmou que a missão tem importância ímpar neste momento.

"É uma satisfação enorme cumprir missão em apoio à sociedade no combate à COVID-19. Como militar da Força Aérea Brasileira, eu me sinto grato e honrado por realizar tal ação", declarou.


 

FAB transporta cilindros de oxigênio para São Gabriel da Cachoeira (AM) - Os itens serão utilizados no combate ao novo Coronavírus¹

Uma aeronave C-105 Amazonas da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou neste domingo (31), Transporte Aéreo Logístico em apoio à Operação COVID-19. O avião, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação (1º/9º GAV) – Esquadrão Arara, transportou 55 cilindros de oxigênio de Manaus (AM) para São Gabriel da Cachoeira (AM). A missão foi coordenada pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) junto ao Centro de Operações Conjuntas (COC) do Ministério da Defesa, em apoio ao Ministério da Saúde.

O FAB 2803 decolou da Ala 8 – Base Aérea de Manaus às 7h  (horário de Brasília) e pousou em São Gabriel da Cachoeira às 9h10. Os cilindros de oxigênio serão empregados no município amazonense para atendimento à população local, no enfrentamento ao novo Coronavírus.

O Comandante do C-105, Capitão Aviador Diogo Francisco de Albuquerque, disse que esses 55 cilindros são de grande importância para as atividades nos hospitais de São Gabriel da Cachoeira. "Sinto-me honrando em poder  contribuir com o tratamento desses pacientes que necessitam do oxigênio, podendo levar ajuda às cidades do norte do Brasil", enfatizou.

O loadmaster (do inglês - mestre de carga) do C-105 que executou a missão, Sargento Jorge Willian da Silva Braz, afirmou que é uma satisfação fazer parte do Esquadrão Arara, que é de suma importância no apoio logístico Amazônico. "Vamos transportar esses cilindros de oxigênio em apoio à Operação COVID-19, atendendo à sociedade. Tenho muito orgulho de contribuir, em mais uma missão, levando ajuda a quem necessita”, declarou.

Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, mobiliza militares por todo o Brasil. Homens e mulheres das Forças Armadas atuam no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, em apoio à população. As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, distribuição de kits de alimentos para pessoas de baixa renda, entre outras.

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em 10 Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças (Marinha, Exército e Aeronáutica), que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

FAB realiza Evacuação Aeromédica de uma bebê de Sergipe para Santa Catarina²

Nesta sexta-feira (29), a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou a Evacuação Aeromédica (EVAM) de uma criança de menos de três meses de Aracaju (SE) para Navegantes (SC). A aeronave VC-99, do Grupo de Transporte Especial (GTE), decolou de Brasília (DF), às 8h25, para Aracaju. Às 11h25, realizou o translado da bebê Joana Vitória até Navegantes, cidade onde se encontram os familiares. Uma equipe de saúde, composta por seis profissionais Médicos, Fisioterapeutas, Enfermeiros e Técnico de Enfermagem do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB), realizou o acompanhamento na UTI aérea.

No início de março, quando os pais passavam por Sergipe, a mãe sentiu as dores do parto, foi levada à maternidade e submetida a uma cesariana. Joana Vitória nasceu prematura, com 32 semanas e dois dias, e foi direto para a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIn). Dias após dar à luz, a mãe teve problemas cardíacos e faleceu. O pai de Joana Vitória, Jaciano Marcos Dias, agradeceu o esforço em levar a criança de volta para casa. “Eu fico agradecido pelo esforço porque sem vocês eu não teria ela aqui”, disse emocionado.

O Comandante da aeronave, Major Aviador Luiz Dircineu Lacerda Júnior, disse ter se sentido honrado ao transportar Joana Vitória para perto de sua família. "Esse tipo de missão é muito gratificante, pois renova o nosso lado humano e mostra a pronta-resposta da Força Aérea Brasileira em cumprir todos os tipos de missão", declarou.

A Capitão Médica Fabíola da Silva Maciel Azevedo, integrante da equipe de saúde que acompanhou o voo destacou a emoção em realizar a missão. "Muito bom saber que podemos chegar onde os nossos necessitam de nosso apoio. Foi uma missão muito emocionante! Além dos cuidados médicos, de enfermagem e fisioterapia, a Joana Vitória recebeu mais, o carinho de todos e o desejo de que possa ser feliz junto a sua família", disse.

A criança saiu da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), onde estava internada, com uma homenagem, em forma de carta, da equipe médica. Os profissionais de saúde relataram os dias de internação. "Você nasceu ainda bem pequenininha. Eram você e a mamãe. A sua mãe corajosa e cheia de amor por você. E a gente, 'titios e titias', que não temos o mesmo sangue, mas crescemos e aprendemos com vocês. No começo, as titias entravam na UTIn junto com a mamãe para ela te visitar, mas logo ela já vinha sozinha e queria ficar o máximo de tempo com você. E todos os dias, mais de uma vez por dia, ela vinha ficar. Te dar carinho e amor, cuidar de você. E assim ela fez todos os dias, até o dia que não pôde mais. O dia que ela começou a cuidar de você e te amar sem você poder a ver, ou sentir o seu toque de carinho, ou o cheirinho dela. Mas ela segue te cuidando de outro jeito. E continuará", diz um trecho da carta.

Em outra parte, a carta faz referência ao transporte aéreo da Força Aérea. "Hoje você vai voar. Vai lá bem alto. Perto do céu. Vai voar bem rápido para ir para casa. Conhecer sua casa, onde papai e mamãe sonharam sua chegada. Onde vai crescer, conhecer sua família e novos amiguinhos".

Ela saiu da maternidade para o Aeroporto Santa Maria, em Aracaju, em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), sob escolta de policiais do Grupo Especial Tático de Motos. “Procuramos fazer o translado pelo caminho menos acidentado, com menos desníveis, pois a situação da bebê ainda era complexa e de alto risco. Cuidamos para que a chegada da ambulância coincidisse com a chegada da aeronave”, explicou o Tenente Médico Arthur Felipe Barbosa Vasconcelos do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Aracaju (DTCEA-AR). A Joana Vitória partiu para Navegantes (SC), onde segue sob acompanhamento médico.

¹por Tenente Fraga E Tenente-Coronel Santana , ²Tenente Cristiane Major Monteiro -

Fotos: Capitão Albuquerque (1º/9º GAV), Sargento Derllan e Soldado Moré da Silva / Ala 8 - Capitão Almeida e Tenente Corrêa/Ala 11 e Tenente Brenda/Ala 9 -
Tenente Athur/ DTCEA-AR, Tenente Ana Carolina/HFAB, SAMU, Mauro de Oliveira Rocha Santos e Davi Lima de Oliveira Santos


VEJA MAIS