COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Naval

13 de Abril, 2020 - 01:55 ( Brasília )

China torpedeia a Sétima Frota Americana com o COVID-19

Pela primeira vez desde a segunda Guerra mundial a US Navy não tem porta-aviões operacionais no Pacífico. Os dois únicos operando são o Liaoning e o Shandong da Marinha Chinesa


 Redação DefesaNet

Para mostrar esta posição única a Marinha do Exército Popular da China navega uma Força-Tarefa (Task Force), liderado pelo porta-aviões Liaoning. Segundo o jornal chinês Global Times “mostra o excelente trabalho da PLA Navy no controle do  COVID-19).
 

Declaração da Mainha do PLA na segunda-feira (13ABR2020)


Treinamento da Força-Tarefa liderada por porta-aviões Chinês em exercício no Mar do Sul da China

 

PEQUIM  - A Força-Tarefa da Marinha do PLA liderada pelo porta-aviões Liaoning, navegou recentemente pelo Estreito de Miyako e pelo Canal Bashi e seguiu em direção às águas do Mar do Sul da China para treinamento, de acordo com uma declaração escrita pelo Porta-voz da Marinha do PLA, Coronel Sênior Gao Xiucheng, em 13 de abril.

 

 

 

Este é um acordo de rotina dentro do plano anual de treinamento da Marinha do PLA e também está em conformidade com a lei internacional e convenções relacionadas. No futuro, a Marinha do PLA continuará a realizar as atividades de treinamento conforme planejado, em busca de acelerar a preparação da capacidade de combate da Força-Tarefa capitaneada por  porta-aviões, disse o comunicado.




 

Uma task-force naval chinesa liderada pelo porta-aviões Liaoning navegou pelo estreito de Miyako e seguiu em direção ao Oceano Pacífico, levando especialistas militares chineses afirmarem, no domingo (12ABR2020), que o exercício demonstrou o sucesso no trabalho de controle da epidemia de coronavírus (COVID-19).

A flotilha chinesa, composta pelo porta-aviões Liaoning, dois destróieres de mísseis guiados Tipo 052D, duas fragatas de mísseis guiados Tipo 054A e um navio auxiliar de suprimento Tipo 901, foi vista durante a passagem pelo Estreito de Miyako na noite de sexta-feira (10ABR2020), de acordo com um comunicado do Ministério da Defesa do Japão divulgado publicamente no sábado.

Acima fotos distribuídas pelo Ministério da Defesa do Japão



Os navios de guerra chineses estavam indo na direção do Oceano Pacífico, disse o comunicado.

De acordo com o relatório japonês, a mídia da ilha de Taiwan informou no sábado que o grupo do porta-aviões Liaoning foi visto nas águas à leste da ilha.

Os militares chineses ainda não anunciaram a operação. (Comum as forças armadas usarem artigos redigidos pelos militares, mas publicados em órgão civis)

Não há nada de estranho no Liaoning e a Força Tarefa realizarem exercícios de rotina, afimou, Xu Guangyu, consultor sênior da Associação de Controle e Desarmamento de Armas da China, ao Global Times no domingo.

Não foi a primeira vez que porta-aviões Liaoning passou pelo estreito de Miyako no Oceano Pacífico. Viagens semelhantes ocorreram em junho de 2019 e dezembro de 2016, segundo relatos.

Os porta-aviões da China navegarão com maior frequência as rotas marítimas, incluindo o Estreito de Miyako, para projeção de poder  nos oceanos Pacífico Ocidental e Índico, de acordo com um artigo publicado por Xiakedao, na edição estrangeira do Diário do Povo, em junho de 2019. Tais operações se tornariam uma prática padrão, afirmou o artigo.

Analistas chineses observaram no domingo que a viagem da Força-Tarefa liderada pelo porta-aviões Liaoning ocorreu no momento em que muitos porta-aviões estrangeiros foram atingidos pelo COVID-19, tornando-os inadequados para operaram.

Os porta-aviões USS Theodore Roosevelt, Ronald Reagan, Carl Vinson e Nimitz relataram casos positivos de COVID-19, informaram os meios de comunicação. O porta-aviões nuclear da marinha francesa, o Charles de Gaulle, também possui tripulantes que deram positivo.

Esta operação da Força–Tarefa Liaoning mostrou que o Exército de Libertação do Povo Chinês (PLA) fez um ótimo trabalho no trabalho de prevenção e controle de epidemias, e o COVID-19 não teve impacto em suas operações.

"Isso mostrou que o PLA pode enviar tropas posicionadas para qualquer lugar, a qualquer momento, com as tropas sempre mantendo vigorosas capacidades de combate", afirmou, Xu Guangyu, "o povo chinês sempre pode contar com elas".

A situação inusitada

A US Navy demonstrou, um poder único, ao colocar navegando no Pacífico, lado a lado, três porta-aviões, em novembro de 2017, foram os: CVN-76 USS Ronald Reagan, CVN-71 USS Theodore Roosevelt e o CVN-68 USS Nimitz. Todos os três porta-aviões de propulsão nuclear.

Na época DefesaNet chamou a atenção para o feito. Esta ação teve um resultado estratégico que foi o inícios dos contatos entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte. Inclusive a reunião do Presidente Donald Trump e o ditador Kim Jong Un. Foi o  início de um diálogo com 300.000t Diplomacia - US Navy Mostra Músculos no Pacífico (Ver artigo).

Tínhamos colocado o subtítulo: “A Marinha dos Estados Unidos é a única força no mundo capaz de realizar esse exercício. Pelo menos, por mais duas décadas a US Navy será proeminente nos mares do Pacífico”.

Nem 3 anos após, a US Navy foi torpedeada de forma impiedosa  pelo COVID-19.

O caso do  porta-aviões USS CVN-71 USS Theodore Roosevelt é dramático. No domingo (12ABR2020) a US Navy informou que cerca de 80% da tripulação (4.800 marinheiros) tinha desembarcado. E destes 585 tiveram resultado positivo para o COVID-19.

Sem falar no impacto da decisão de tirar o Capitão
Brett Crozier, do Comando do CVN-71 Theodore Roosevelt. (ver Destituição do Comandante do USS Theodore Roosevelt detona o maior motim do tempo moderno Link)

 

Os marinheiros desembarcados foram colocados em quarentena por 14 dias em hoteis e outras instalações disponíveis.

Em forma emergencial a Sétima Frota mostra o Navio de Assalto Anfíbio  USS America (LHA 6) lançando aeronaves F-35B Lightning II, da 31ª Marine Expeditionary Unit, navegando ao lado do Destroier JS Akebono (DD 108), da Marinha de Autodefesa do Japão.
 


O  F-35B, uma das três versões,  tem a capacidade de Decolagem Curta e Pouso Vertical (Short Takeoff and Vertical Landing). Incorpora as características da aeronave inglesa Harrier.

Assim desde a Segunda Guerra Mundial o Pacífico não tem nenhum porta-aviões da US Navy operacional na área da 7ª Frota.

Foram torpedeados pelo pelo Coronavirus (COVID-19).

Em forma emergencial a Sétima Frota mostra o Navio de Assalto Anfíbio  USS America (LHA 6) lançando aeronaves F-35B Lightning II, da 31ª Marine Expeditionary Unit, navegando ao lado do Destroier JS Akebono (DD 108), da Marinha de Autodefesa do Japão. Foto - US NAVY


 


VEJA MAIS