COBERTURA ESPECIAL - Guerras Híbridas Latinas - Geopolítica

13 de Janeiro, 2020 - 13:00 ( Brasília )

Morales pede criação de "milícias armadas" na Bolívia


O ex-presidente da Bolívia Evo Morales defendeu no domingo um pedido que fizera para a formação de grupos armados, em uma gravação que foi divulgada em uma rádio pública.

Falando com exclusividade para a Reuters na noite de domingo na Argentina, onde está exilado, Morales confirmou ser sua a voz que pedia pela criação de milícias armadas na Bolívia “como as da Venezuela”.

Ele afirmou que as pessoas têm o direito a se defender se o novo governo atacá-las, acrescentando que não se referiu a portar armas, mas sim a grupos de defesa dos cidadãos que sempre existiram.

“Na Bolívia, se as Forças Armadas estão atirando no povo, matando o povo, o povo tem o direito de organizar sua segurança”, disse Morales na entrevista.

“Não estamos falando de armas, mas algo parecido com estilingues. Em algumas épocas, (esses grupos) foram chamados de milícias; em outros tempos, eles foram chamados de segurança sindical ou polícia sindical e em outros locais são chamados de guarda comunal. Não é algo novo”.

No áudio divulgado pela rádio Kawsachun Coca Tropico, Morales afirma que ele e seus apoiadores estavam “confiantes demais” na eleição presidencial do ano passado e deveriam ter pensado em um “plano B”.

Morales fugiu da Bolívia em novembro, depois de uma polêmica vitória nas eleições. Sua partida ocorreu após intensa pressão das Forças Armadas do país depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) encontrou irregularidades “irrefutáveis” na disputa presidencial.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Pensando o Estado Nacional Brasileiro

Pensando o Estado Nacional Brasileiro

Última atualização 10 JUL, 12:00

MAIS LIDAS

Guerras Híbridas Latinas