COBERTURA ESPECIAL - Venezuela - Defesa

17 de Janeiro, 2020 - 10:20 ( Brasília )

Passagem de Comando da Operação Acolhida

Ministro da Defesa substituto e Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, participa da cerimônia no Palácio do Planalto

Aspirante Letícia Faria E Tenente Cristiane

O Ministro da Defesa substituto e Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, participou  no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), de cerimônia de Passagem de Comando da Coordenação Operacional da Força-Tarefa Humanitária da Operação Acolhida. O evento ocorreu nesta quinta (16) e contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro, Oficiais-Generais das Forças Armadas e autoridades civis.

À frente dos trabalhos humanitários desde o começo da operação, em 2018, o General de Divisão do Exército Brasileiro, Eduardo Pazuello entregou o comando ao General Antônio de Manoel Barros. Em seu discurso de despedida ressaltou a importância do Protocolo de Governança e a criação do Comitê de Ministros presidido pela Casa Civil. "Estamos falando de um fluxo migratório de milhões de cidadãos venezuelanos. Para abrigar essas pessoas, foi necessário montar 26 instalações e abrigos. O desafio foi grande, mas fomos ajudados por muitas pessoas, organizações nacionais e internacionais, instituições, agências, organismos de Governos Federal, Estaduais e Municipais, entidades religiosas e principalmente por Deus, que nos protegeu e nos guiou”, disse e, desejou sorte e sabedoria ao novo comandante, para manter o Brasil como referência internacional de resposta à crise humanitária.

O novo Comandante, General Barros, é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, mestre em Operações Militares e doutor em Ciências Militares, integrando hoje o oficialato do Estado-Maior do Exército.

Durante o evento, o Tenente-Brigadeiro Bermudez leu a mensagem do Ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva, que estava ausente na cerimônia, em virtude de sua participação na inauguração da nova Estação Antártica Comandante Ferraz. "[...] Todos os Ministérios se empenharam no esforço do Governo. [...] Por sua vez, o Ministério da Defesa criou uma Força-Tarefa Logística Humanitária, composta por militares do Exército, da Marinha e da Força Aérea, para apoiar o esforço do Governo. [...]  Assim, foi organizada uma operação conjunta, interagências, de natureza humanitária, que envolveu as Forças Armadas e vários órgãos das esferas Federal, Estadual e Municipal, com a participação de Agências Internacionais, Organizações não Governamentais e Instituições da sociedade civil. [...] A Operação Acolhida é um conjunto relevante de entregas humanitárias, reconhecida como exemplar, e premiada pelos organismos internacionais, motivo de orgulho para a sociedade brasileira".

Ainda durante a cerimônia ocorreu a assinatura, pelo Ministro de Estado da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, do Termo Aditivo ao Protocolo de Cooperação entre a União e representantes do setor aéreo, que estabelece a gratuidade do transporte aéreo, no Brasil, de imigrantes e solicitantes de refúgio atendidos pela Operação Acolhida. Estavam presentes representantes do setor aéreo, da  Gol e da Latam, bem como os presidentes das empresas Azul, Infraero, FRAPORT, BH Airport, Viracopos Airport, GRU Airport e da Associação Brasileira de Empresas Aéreas (ABEAR).

Ao final, o Presidente da República, Jair Bolsonaro, discursou ao lado de uma das crianças venezuelanas, componente da Associação Cultural Canarinhos da Amazônia. 

Fotos: Soldado Wilhan Campos/CECOMSAER



VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Dossiê EMBRAER

Dossiê EMBRAER

Última atualização 20 FEV, 12:13

MAIS LIDAS

Venezuela