COBERTURA ESPECIAL - TOA - Aviação

07 de Agosto, 2019 - 11:00 ( Brasília )

Membros do Poder Judiciário conhecem trabalho das Forças Armadas na Amazônia

Viagem institucional foi realizada entre os dias 1º e 3 de agosto

Tenente Lorena Molter, Tenente Jonathan Jayme E Tenente-Coronel Santana


Integrantes do Poder Judiciário e de Órgãos que exercem funções essenciais à Justiça conheceram in loco o trabalho das Forças Armadas na Amazônia. A viagem institucional, realizada entre os dias 1º e 3 de agosto, foi coordenada pela Assessoria Parlamentar e de Relações Institucionais do Comandante da Aeronáutica (ASPAER) e pelo Gabinete do Comandante do Exército Brasileiro.

O Chefe da ASPAER, Brigadeiro do Ar Flávio Luiz de Oliveira Pinto, explicou a finalidade da atividade. “Essa viagem teve como objetivo ratificar a cooperação institucional entre a Força Aérea Brasileira e as Organizações do Poder Judiciário”, disse.

A programação foi iniciada no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo (PA). Logo após, o grupo seguiu para a Ala 8, em Manaus (AM), onde foi realizada palestra sobre a atuação da Força Aérea na Amazônia Ocidental.



Em seguida, os visitantes conheceram de perto as missões e as equipagens das quatro Unidades Aéreas sediadas na capital do Amazonas (1°/4° GAV, 7°/8° GAV, 7° ETA e 1°/9° GAV), responsáveis pela defesa e pela integração na região. Assistiram, ainda, à apresentação do Grupo Logístico da Ala 8, incumbido de realizar a manutenção das aeronaves que atuam na Amazônia.

Na ocasião, também foram apresentadas as atividades das Organizações de Infantaria: o Segundo Grupo de Defesa Antiaérea (2° GDAAE) e o Grupo de Segurança e Defesa da Ala 8 (GSD-MN), que explicaram sobre suas atuações e materiais de emprego.

“É uma experiência muito enriquecedora porque nós saímos dos gabinetes e, como autoridades que atuam no âmbito institucional, temos a possibilidade de conhecer de perto o esforço que é empreendido pelas Organizações Militares para integrar o Brasil.

Nós sobrevoamos a floresta e vimos populações realmente distanciadas de grandes centros. Percebemos, então, que a presença das Forças Armadas é o único elo com a tecnologia e com a evolução na saúde. É, também, extremamente significativa a atividade de garantir a segurança da nossa Amazônia”, avalia o Procurador de Justiça Militar Antônio Duarte.

A agenda do primeiro dia foi finalizada no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), onde o Exército Brasileiro falou sobre sua estratégica missão na Região Norte. O segundo dia de atividades foi iniciado com a visitação do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV).

Sediada em Manaus, esta Organização da FAB é responsável pelo controle do espaço aéreo na Região Norte e em parte das Regiões Nordeste e Centro-Oeste. Na visita, o grupo conheceu a missão do CINDACTA IV, bem como o Centro de Controle de Área Amazônico, o Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico Amazônico e o Quarto Centro de Operações Militares.

Na sequência, o comandante do Destacamento de Apoio à Comissão de Aeroportos da Região Amazônica em Manaus (DACO-MN), Major Aviador Leno Frank Garcia, ministrou palestra sobre o histórico, o trabalho e a relevância da COMARA na região.



A Organização é responsável pela construção, reforma e ampliação de mais de 150 aeródromos na Região Norte, ao longo de seus 60 anos de história. A Desembargadora Federal e Corregedora do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Maria do Carmo Cardoso, falou sobre a atuação dos militares na Amazônia.

“Abnegação total, dedicação e amor à pátria de verdade. Você vê o encanto nos olhos dos nossos soldados, daqueles que os dirigem, e todos são engajados num único propósito: fazer esse país crescer cada vez mais, com dignidade, sabedoria e honestidade”, avaliou.

A próxima parada da comitiva foi na outra extremidade do Estado do Amazonas, em São Gabriel da Cachoeira (distante 850 km de Manaus). Do município, a comitiva seguiu para o Pelotão Especial de Fronteira de Maturacá, na divisa do Brasil com a Venezuela.

O local é um importante ponto de ação das Forças Armadas na defesa e na integração do território nacional. “Vi o papel das Forças Armadas aqui, que é de uma grandeza desconhecida, com o atendimento a uma população extremamente carente”, declarou o Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, Luís Gustavo Barbosa de Oliveira.



Fotos: Tenente Simão / Ala 8

VEJA MAIS