COBERTURA ESPECIAL - TOA - Geopolítica

06 de Agosto, 2019 - 13:00 ( Brasília )

TOA - Quem invadirá o Brasil para salvar a Amazônia?

Professor de Harvard avalia risco de invasão do Brasil para salvar Amazônia

Nota DefesaNet,

Série de três matérias relacionadas.

Gen Ex Pinto Silva - AMAZÔNIA Ameaçada, ou é só uma Reação ao Presidente Bolsonaro? Link

TOA - Quem invadirá o Brasil para salvar a Amazônia? Link

TOA - Gen Villas Boas e Alberto Cardoso: país está sob ataque indireto de nações estrangeiras Link


 O Editor



Daniel Buarque
UOL

 

A divulgação internacional de notícias sobre aumento do desmatamento da Amazônia e a impressão externa de que o presidente Jair Bolsonaro permite a livre destruição da floresta faz com que seja apenas uma questão de tempo até que as grande potências mundiais tomem atitudes para tentar impedir a mudança climática da forma como acharem necessário, avalia o professor de relações internacionais Stephen M. Walt, da Universidade de Harvard.

Em um artigo publicado pela prestigiosa revista de diplomacia Foreign Policy, Walt questiona: "Quem vai invadir o Brasil para salvar a Amazônia?".

O texto não é uma defesa de uma ação internacional contra o Brasil, entretanto, mas uma discussão sobre teorias e práticas de relações internacionais tentando entender como funcionam as pressões externas sobre a soberania de países que têm influência sobre o futuro do planeta.

"Para deixar claro: não estou recomendando esse curso de ação agora ou no futuro. Eu estou apenas apontando que o Brasil pode ser um pouco mais vulnerável à pressão do que alguns outros Estados", diz o texto.

O argumento de Walt também vai bem além de teorias da conspiração que circulam há anos sobre interesses econômicos e militares de outros países sobre o território brasileiro –e que são usados pelo governo de Bolsonaro para defender a independência da política do Brasil.

A avaliação dele foca especificamente a questão ambiental e o combate ao aquecimento global, que podem ser vistos como tema central da política internacional do futuro. A avaliação é sobre como Estados podem agir para influenciar uns aos outros em nome da proteção do planeta.

O argumento está alinhado com um outro artigo publicado na imprensa americana recentemente. Um texto publicado pela revista americana The New Republic diz que por conta da destruição da Amazônia o Brasil pode ser tratado como uma ameaça à segurança global maior do que o Irã e a China, tradicionalmente vistos como maior risco da atualidade pelos Estados Unidos.

"Um nível adequado de atenção às mudanças climáticas como uma preocupação urgente de segurança exigiria que os EUA reordenassem suas prioridades. Enquanto a China é um dos maiores emissores de gases de efeito estufa, devemos prestar mais atenção ao que está acontecendo em nosso hemisfério. Em particular, isso significa abordar o perigo mais imediato que estamos enfrentando de um estado que oficialmente é parceiro e do presidente aliado de Trump: o Brasil de Jair Bolsonaro e seu desmatamento acelerado na Amazônia", avalia.

Desde a eleição de Bolsonaro, a postura dele em relação ao ambiente é vista como problemática pelo resto do mundo, e têm sido constantes as declarações externas no sentido de pressionar o Brasil economicamente para que proteja a floresta.

Com uma avaliação mais detalhada do caso, o artigo de Walt começa com a descrição de um fictício cenário futuro, em 2025, quando o governo americano anuncia um ultimato para o Brasil interromper o desmatamento ou sofrerá ataques militares. Apesar de dizer que é um cenário de fantasia, Walt discute os direitos, responsabilidades e obrigações de intervenção em outros países para evitar danos irreversíveis e catastróficos ao ambiente.

O professor explica que a ação internacional muitas vezes depende da força que cada país tem. Ele indica que China, Estados Unidos, Índia, Rússia e Japão são os maiores emissores de gases de efeito estufa do mundo. Esses mesmos países, entretanto, também são potências militares, que se colocam de forma mais segura diante de pressões externas.

"É isso que torna o caso brasileiro mais interessante. O Brasil está de posse de um recurso global crítico –por razões puramente históricas– e sua destruição prejudicaria muitos Estados, se não o planeta inteiro. Ao contrário de Belize ou Burundi, o que o Brasil faz pode ter um grande impacto. Mas o Brasil não é uma verdadeira grande potência, e ameaçá-lo com sanções econômicas ou mesmo com o uso da força, se ele se recusar a proteger a floresta tropical, pode ser viável", avalia.

O artigo discute como os países têm direito de proteger seus próprios interesses, mas vê como necessária a discussão sobre repercussões internacionais das ações de um Estado a fim de buscar negociações pacíficas e evitar qualquer tipo de conflito.

"Em um mundo de Estados soberanos, cada um fará o que for necessário para proteger seus interesses. Se as ações de alguns Estados estão pondo em perigo o futuro de todo o resto, a possibilidade de confrontos sérios e possivelmente de conflitos vai aumentar. Isso não torna o uso da força inevitável, mas esforços mais sustentados, enérgicos e imaginativos serão necessários para evitá-lo."

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil



Matérias Relacionadas

Assuntos publicados nos últimos meses sobre: TOA / Triplo A


TOA - Quem invadirá o Brasil para salvar a Amazônia?

Daniel Buarque UOL   A divulgação internacional de notícias sobre aumento do desmatamento da Amazônia e a impressão externa de que o presidente Jair

TOA - 06 AGO 2019



TOA - Gen Villas Boas e Alberto Cardoso: país está sob ataque indireto de nações estrangeiras

  Matérias do Correio Braziliense e Vídeos UOL Os generais Eduardo Villas-Boas e Alberto Cardoso afirmaram, na noite desta segunda-feira (05JUL2019), que o Estado brasileiro está sendo alvo de um ataque indireto ...

TOA - 06 AGO 2019

 
1ª Bda Inf Sl - Ação Cívico-Social marca a presença no extremo norte do Brasil

Boa Vista (RR) – A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl), realizou, no dia 16 de maio, uma Ação Cívico-Social (ACISO) na comunidade indígena Tarau Parú, localizada no município ...

TOA - 21 MAI 2019


França promete apoiar Raoni na proteção do Xingu

O presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu nesta quinta-feira (16/05) no Palácio do Eliseu o líder indígena brasileiro Raoni Metuktire e prometeu ao cacique kayapó o apoio da França em sua batalha contra ...

Guerra Hibrida Brasil - 17 MAI 2019


ONU - Unam forças para lutar por território a povos indígenas

Os povos indígenas que lutam pela garantia de seus direitos devem se unir e construir uma campanha global para se defenderem contra invasões e projetos de desenvolvimento que os obriguem a deixar seus territórios, disse uma ...

Guerra Hibrida Brasil - 25 ABR 2019

 
MSIa - Sínodo Pan-Amazônico: a quem interessa um confronto Brasil-Vaticano?

Lorenzo Carrasco Movimento Solidariedade Ibero-Americano Alerta Científico e Ambiental A tentativa de transformar o vindouro Sínodo Pan-Amazônico em um instrumento político para promover a agenda das estruturas ...

TOA - 19 FEV  2019


Instituto da Brasilidade - Manifesto Amazônico

MANIFESTO AMAZÔNICO   Instituto da Brasilidade   Não existe um projeto nacional sem um projeto para a Ama

TOA - 18 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A: CNBB planta nota para Ninar Jacarés

  O celibato dos padres é o real ‘ponto principal’ do Sínodo da Amazônia   O Antagonista 11.02.19 12:01 O Sínodo da Amazônia, um

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A: Indígenas se preparam para enfrentar Bolsonaro em RR

Fabiano Maisonnave e Avener Prado Terra Indígena Raposa Serra do Sol (RR) Tiveram as passagens aéreas custeadas pela ONG Conectas       Não é de hoje que macuxis, wapichanas, ...

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A - Planalto vê Igreja Católica como potencial opositora

Tânia Monteiro O Estado de São Paulo  

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A: A Nova Ameaça à “SOBERANIA BRASILEIRA NA AMAZÔNIA”

CORREDOR TRIPLO A: A NOVA AMEAÇA À “SOBERANIA BRASILEIRA NA AMAZÔNIA” Carlos Alberto Pinto Silva[1] Um real, possível e provável arg

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A - Gilberto Carvalho - Monitorar bispos expõe Brasil a 'ridículo internacional'

Ricardo Galhardo O Estado de S.Paulo Liderança do PT com maior ligação com a Igreja Católica, o ex-ministro Gilberto Carvalho disse que a decisão do governo Jair Bolsonaro de monitorar os bispos que ...

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A - Bispos se opõem a políticos em evento

Felipe Frazão / BRASÍLIA José Maria Mayrink   O grupo de bispos brasileiros que prepara o Sínodo sobre Amazônia, previsto para ocorrer em outubro, em Roma, critica a presen&ccedi

TOA - 11 FEV 2019


CORREDOR TRIPLO A - Nota do PT: Espionar Igreja é volta à repressão

Nota do PT: Espionar Igreja é volta à repressão   Gleise Hoffmann Presidenta Nacional do PT É muito grave a notícia divulgada hoje (10/02) de que o governo Bolsonaro está espionando as ...

TOA - 10 FEV 2019

 
Cel R1 Péricles - FUNAI no Ministério da Defesa


 Cel R1 Péricles da Cunha Fosse o PR eleito, não titubeava, colocava a FUNAI no Ministério da Defesa. Os militares sempre foram os grandes protetores dos índios. O marechal Rondon, o grande Rondon, foi o criador ...

TOA - 06 DEZ 2018


ANDES-AMAZÔNIA-ATLÂNTICO - Corredor Triplo A já avança na Colômbia

Colômbia: religiosos e indígenas se unem para acabar com deflorestação da Amazônia ONU News Líderes de principais tradições religiosas na Colômbia se uniram numa parceria com povos ...

TOA - 29 NOV 2018


Um sínodo. Para a Amazônia?

Marcelo Carvalho Ribeiro O Papa Francisco decidiu realizar, em outubro de 2019, em Roma, um Sínodo Especial para a Amazônia.

TOA - 13 NOV 2018

 
Atuação das Forças Armadas contribui no combate às desigualdades na Amazônia

Margareth Lourenço, com informações do MCTIC Com 22,5 mil alunos distribuídos por 15 câmpus no estado do Amazonas, o Instituto Federal de Educação do Amazonas (Ifam), conta com o apoio das Forças ...

TOA - 17 OUT 2018
 


VEJA MAIS