COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

28 de Setembro, 2017 - 15:00 ( Brasília )

Grande manobra logística leva meios de Engenharia para obras em importante rodovia na Amazônia.


A Diretoria de Obras de Cooperação (DOC) está coordenando uma grande manobra logística que consiste na concentração estratégica de meios de engenharia de várias organizações militares do Brasil, para apoiar as obras na BR-163, que liga Cuiabá, no estado do Mato Grosso, a Santarém, no Pará.

Serão construídos 65 km, a partir da cidade de Moraes de Almeida (PA). A Operação Xingu, como foi denominada, encontra-se em fase de instalação do canteiro de obras e empregará materiais de Unidades de Engenharia do Exército de outras regiões do País.

Após concluída, a rodovia se converterá em importante corredor de escoamento da produção de grãos de Mato Grosso, transportada por intermédio de navios que partem dos portos paraenses de Miritituba e Santarém.

 

A grande mobilização está envolvendo três Grupamentos de Engenharia, localizados em João Pessoa (PB), Manaus (AM) e Campo Grande (MS), além do 2º Batalhão Ferroviário, sediado em Araguari (MG). Da Região Nordeste, estão sendo deslocados 14 equipamentos e viaturas para apoiar a obra, pertencentes aos 1º, 2º, 3º e 4º Batalhões de Engenharia de Construção e ao 7º Batalhão de Engenharia de Combate, todas organizações militares diretamente subordinadas ao 1º Grupamento de Engenharia (1º Gpt E).

Essa operação, de elevada magnitude, exige enorme esforço logístico, pois diversos comboios foram formados, a partir das cidades de Barreiras (BA), Natal (RN), Caicó (RN), Floresta (PE) e de Picos (PI), que partiram rumo a Teresina (PI).

 

Na Capital piauense, após um trabalho de manutenção, formou-se um grande comboio unificado, cujo destino é a cidade de Moares de Almeida (PA). O comboio ainda se deslocará por aproximadamente 2.800 km, durante cerca de 11 dias.

Todos os quase 200 meios de Engenharia que apoiarão a Operação Xingu, dentre equipamentos e viaturas, estão sendo transportados pelos modais rodoviário e fluvial. Serão três eixos de transporte rodoviário.

O primeiro partiu da Região Nordeste, a cargo do 1º Gpt E, que está percorrendo cerca de 3.300 km, com meios recebidos das Guarnições de Natal (RN), Picos (PI), Barreiras (BA) e Teresina (PI).

O segundo, sob a responsabilidade do 2º Batalhão Ferroviário, recebeu meios das Guarnições de Cuiabá, no Mato Grosso, e de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

O terceiro e último eixo de transporte partiu de Santarém, estando a cargo do 8º Batalhão de Engenharia de Construção, organização militar executora da obra. Há, também, um eixo de transporte fluvial, com balsas partindo de Manaus e transportando meios oriundos de Boa Vista (RR), Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC).

 

Fotos: Agência Verde-Oliva / EB

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


PCC - Gangues

PCC - Gangues

Última atualização 17 DEZ, 20:52

MAIS LIDAS

TOA