COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

10 de Abril, 2017 - 11:00 ( Brasília )

1ª Bda Inf Sl divulga balanço da Operação Curaretinga IX


No dia 3 de abril, a 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) deu por encerrada a Operação Curaretinga IX, deflagrada em 23 de março, em todo o arco fronteiriço do Estado de Roraima, com ações amparadas pelas Leis Complementares 97/1999, 117/2004 e 136/2010.

Nesse período de atividades, ocorreram patrulhamentos da faixa de fronteira, bloqueios nas estradas, patrulhamento e bloqueio nos rios do Estado, bem como a proteção do meio ambiente por intermédio de coação a ilícitos ambientais e a promoção de saúde e bem-estar às comunidades indígenas, por meio de ações cívico-sociais (ACISO).

Destacam-se como resultados mais significativos e tangíveis a apreensão de 3.359 m3 de madeira proveniente de extração ilegal, na região sul do Estado; apreensão ou inutilização de material de garimpagem ilegal no interior da Terra Indígena Yanomami; e outras apreensões nas rodovias roraimenses. Além dessas ações, ficou marcada a presença do Estado brasileiro nas regiões mais ermas do País.

Mais que o combate aos ilícitos transfronteiriços e ambientais, a 1ª Bda Inf Sl levou a “Mão Amiga” às comunidades da faixa de fronteira roraimense, com a realização de 21 ACISO, que, dentre atividades culturais e sociais, levou quase 3.500 atendimentos médicos e odontológicos, além de 667 procedimentos diversos na prevenção de enfermidades e 2.953 medicamentos distribuídos à população necessitada.

Foram empregados, nessa Operação, cerca de 984 militares, 115 viaturas e 11 embarcações. O total de distâncias percorridas foi de 9.227 km em rodovias e 1.587 km de percurso fluvial. Outro número que merece destaque é o de vistorias, ressaltando-se que ocorreram 5.907 vistorias em veículos, nos 47 postos de bloqueios e controles de estradas realizados.

Cabe ressaltar, por fim, que, apesar do término da Operação Curaretinga IX, a Brigada, em parceria com a Polícia Militar do Estado, o Distrito Sanitário Indígena Yanomami e a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), permanecerá controlando o acesso ao Rio Uraricoera, com a finalidade de evitar os ilícitos.

Além do Exército e da Força Aérea, diversos órgãos governamentais e de segurança pública participaram das atividades, como o Ministério Público Estadual e o Federal; as Polícias Civil, Militar e Federal; a Receita Federal; a Agência Brasileira de Inteligência; e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Algumas entidades privadas também apoiaram as ações, como a Faculdade Cathedral; bem como órgãos de apoio à população indígena, como a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e o Distrito Sanitário Especial Indígena – Yanomami.

Exército detém 16 garimpeiros e apreende ouro na Terra Yanomami, em RR [Link]

1ª Bda Inf Sl - Primeiros resultados da Operação Curaretinga IX [Link]

1ª Bda Inf Selva - Patrulhamento na Faixa de Fronteira [Link]


VEJA MAIS