COBERTURA ESPECIAL - Especial Terror - Geopolítica

28 de Junho, 2016 - 20:30 ( Brasília )

Turquia vive tensão externa com Estado Islâmico e interna com curdos

Governo turco é parte de coalizão que bombardeia o EI na Síria e no Iraque. Briga interna com curdos também gerou escalada de violência.

Explosões no aeroporto de Istambul deixam 31 mortos

A Turquia tem sido alvo de vários atentados nos últimos meses, atribuídos a dois inimigos do país: o grupo terrorista Estado Islâmico e militantes curdos.

Desde o ano passado, a Turquia é parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos que combate o Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

Além de fazer bombardeios aéreos em áreas dominadas pelo grupo extremista, o governo turco permite que os aviões americanos usem suas bases aéreas atacar alvos na Síria.

A Turquia iniciou os ataques aéreos ao EI após o atentado suicida de julho de 2015 em Suruc, uma cidade próxima da fronteira com a Síria, no qual morreram 34 pessoas e que foi atribuído a esses jihadistas.

Depois do ataque, o governo turco prometeu ter um papel mais ativo no combate ao terrorismo.

Também no ano passado, a Turquia aumentou os ataques a militantes curdos em muitas cidades do sudeste do país, de população majoritariamente curda. Desde então, os militares turcos vêm se concentrando sobretudo em alvejar seu antigo inimigo, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Os combates colocaram fim à frágil trégua entre o governo e o PKK, que realiza uma insurreição armada desde 1984. O PKK controla porções de território ao longo da fronteira turca.

O mais recente atentado ocorrido na Turquia antes do que atingiu o aeroporto de Istambul nesta terça-feira (28) foi no último dia 6. Um carro-bomba explodiu ao lado de um veículo policial, matando 11 pessoas e deixando outras 36 feridas. O ataque foi atribuído aos rebeldes do PKK.

Antes disso, no dia 19 de março, um atentado suicida em uma das áreas mais movimentadas de Istambul matou quatro pessoas e feriu outras 36. Segundo o governo turco, o homem-bomba tinha vínculos com o Estado Islâmico.

Outros atentados foram registrados em Ancara entre o fim do ano passado e o início deste ano. O pior deles deixou cerca de 100 mortos devido a duas explosões em uma manifestação sindical em favor da paz no país.

Imigração

A Turquia também é uma das principais portas de entrada de imigrantes e refugiados (especialmente sírios) na Europa.

Em março deste ano, a União Europeia aprovou um acordo com o governo de Ancara para conter o fluxo de imigrantes ilegais. Pelo acordo, são enviados de volta à Turquia os ilegais que chegam da costa turca à Grécia.

Em contrapartida, por cada sírio que seja devolvido à Turquia, outro que esteja em campos turcos será admitido na UE.

A UE também se comprometeu a retomar a análise do processo de entrada da Turquia no bloco. Nesta quinta-feira (30), deve ser aberto um novo capítulo nessa solicitação de acesso.
 

Explosões no aeroporto de Istambul


28/06/2016 16h22 - Atualizado em 28/06/2016 20h37

Explosões no aeroporto de Istambul deixam 31 mortos

Ministro da Justiça turco diz que rifles também foram usados em ataque. Homens-bomba se explodiram em terminal internacional de Ataturk.

Trinta e uma pessoas morreram após três explosões na noite de terça (28) no terminal internacional do aeroporto de Istambul, o maior da Turquia e terceiro mais movimentado da Europa. O número de mortes foi anunciado pelo governador de Istambul, Vasip Sahin.

O que sabemos até aqui:

- Três explosões atingiram o terminal internacional antes da área do raio X
- São 31 mortos e 147 feridos, segundo o governo da Turquia
- Antes de se explodirem, 3 homens abriram fogo com rifles
- Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, mas há suspeitas de uma ação do Estado Islâmico

O ministro da Justiça turco, Bekir Bozda?, disse que os responsáveis pelo ataque ao aeroporto Ataturk abriram fogo usando rifles Kalashnikov.

O ataque aconteceu por volta das 22h (16h em Brasília).

Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento. Informações iniciais "sugerem" que o Estado Islâmico estaria por trás dos ataques, segundo a agência turca Dogan, que atribui a informação a fontes policiais.

Logo após o ataque, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan convocou uma reunião de emergência com o primeiro-ministro Binali Y?ld?r?m e comandantes militares.

“Está claro que este ataque não tem como alvo nenhum resultado, mas apenas criar material de propaganda contra nosso país usando o sangue e a dor de pessoas inocentes”, disse Erdogan em um comunicado.

Foram enviadas 49 ambulâncias ao local. Segundo a CNN turca, taxistas que trabalham no aeroporto ajudaram a transportar pessoas feridas até hospitais. Cerca de duas horas depois das explosões, no entanto, relatos em redes sociais reclamavam que os taxistas aceitavam transportar apenas turistas estrangeiros, cobrando 100 libras de cada um (cerca de R$ 440).

À agência Reuters, um oficial turco não identificado disse que três homens-bomba causaram as explosões. Eles teriam detonado os explosivos antes de passar pelo raio X do controle de segurança na entrada do aeroporto. Ainda segundo a agência, policiais também atiraram para tentar neutralizar suspeitos. Um vídeo de uma câmera de segurança mostra um deles caído no chão, aparentemente apos ser baleado, e detonando seus explosivos pouco depois.

Um dos autores do ataque no aeroporto abriu fogo de forma randômica no terminal antes das explosões, disse uma testemunha à Reuters.

A CNN, citando o ministro da Justiça turco Bekir Bozdag, diz que uma das explosões aconteceu na calçada, do lado de fora do terminal, e outra no portão de segurança na entrada do aeroporto.

O aeroporto foi fechado e a entrada e saída de pessoas foi interrompida. Alguns voos que deveriam pousar no local foram desviados, mas os que já estavam chegando foram autorizados a pousar. Os voos que deveriam decolar de Ataturk foram cancelados, com seus passageiros sendo encaminhados a hotéis. A previsão é de que o aeroporto seja aberto às 20h da quarta (14h em Brasília).

Na segunda-feira (27), o Departamento de Estado dos EUA havia atualizado seu alerta de segurança e informado a cidadãos americanos que eles deveriam evitar viajar para o sudeste da Turquia, onde foram registrados nos últimos dias diversos episódios violentos no conflito com militantes curdos. O ataque desta terça, no entanto, aconteceu no norte do país.

O Ministério das Relações Exteriores informou que ainda não há registro de brasileiros entre as vítimas. Segundo a assessoria de imprensa do Itamaraty, um consulado brasileiro na cidade já está mobilizado para atender a comunidade brasileira.

Ataturk

O aeroporto Ataturk é o terceiro mais movimentado da Europa, atrás dos aeroportos de Heathrow (Londres) e Charles de Gaulle (Paris), e o 11º mais movimentado do mundo. Ele é localizado no lado europeu de Istambul - a cidade tem uma parte na Ásia e outra na Europa. De acordo com a “Airport Council International”, mais de 61 milhões de passageiros passaram por Ataturk em 2015.

A pouco mais de 20 km de Istambul, Ataturk é considerado um aeroporto com um rígido sistema de segurança. Os visitantes precisam passar por uma checagem de veículo na entrada do complexo e um raio X para entrar no terminal.