06 de Novembro, 2019 - 09:10 ( Brasília )

Terrestre

Exercício Simulado treina militares e agentes de saúde para acidente com múltiplas vítimas de trauma


No dia 26 de outubro, teve início, no km 322 da BR-158, na altura da Vila Floresta, Bairro Cerrito, em Santa Maria, o Exercício Simulado de Atendimento em Caso de Múltiplas Vítimas de Trauma. A atividade teve como objetivos definir as atribuições e competências das equipes de saúde do atendimento pré e intra-hospitalar, bem como das equipes de segurança, isolamento de cena e apoio para uma eventual situação real, além de treiná-los e capacitá-los.

As atividades iniciaram-se com os ajustes no cenário do sinistro, em que foram dispostos dois carros e um ônibus, simulando um acidente que envolveu os três veículos. Foram 25 vítimas fictícias, dispostas em situações de um acidente real.

Sinergia

O processo de atendimento desse tipo de ocorrência requer o estabelecimento de um Sistema de Comando de Incidentes (SCI), que são protocolos de atendimentos de emergência, em que há a necessidade da atuação de múltiplos agentes atendendo ao evento. Esse sistema requer uma coordenação e um sincronismo entre as equipes, o que só pode ser atingido com treinamento. Por isso, o simulado permitiu avaliar os níveis de capacitação e agilidade para a resolução da situação.

No caso do incidente proposto para esse exercício simulado, a Polícia Rodoviária Federal, a Guarda Municipal e a Brigada Militar foram responsáveis pelo isolamento e pela segurança das pessoas que se aproximavam do local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ficou em uma área mais próxima, fazendo a triagem das vítimas (classificação conforme o tipo de ferimento).

As ambulâncias e equipes de transporte se posicionaram entre a área de triagem e a saída. Integrantes do Corpo de Bombeiro Militar do Rio Grande do Sul (CMBRS) e do Hospital Geral de Santa Maria (HGeSM) ficaram no local onde se encontravam os acidentados, ou seja, na área do acidente, procedendo à estabilização das vítimas, ao primeiro atendimento e à remoção dos pacientes do local do sinistro.

As vítimas foram transportadas para as unidades médicas, conforme a classificação feita pela equipe do SAMU e, após indicados os locais, o transporte foi imediato. Hospitais e pronto-atendimentos do município, incluindo o HGeSM, estiveram de prontidão, para também testarem seus sistemas de atendimento.

Durante a simulação, foi montada, no HGeSM, toda a estrutura para o recebimento das vítimas, contando com uma equipe multidisciplinar capaz de receber, avaliar e conduzir as vítimas, se necessário, à UTI do hospital.



ÚLTIMAS

Terrestre

MAIS LIDAS