17 de Outubro, 2019 - 10:00 ( Brasília )

Terrestre

Prêmio Cultural Vera Cruz abre inscrições em âmbito nacional


Prosseguindo com a agenda comemorativa do Projeto Vera Cruz, já estão abertas as inscrições para o Prêmio Cultural Vera Cruz em âmbito nacional. O prazo vai até 30 de janeiro de 2020.

O Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), por intermédio da Biblioteca do Exército (BIBLIEx), concederá o valor de R$ 5000,00 (cinco mil reais) ao autor brasileiro, civil ou militar, que apresentar o melhor trabalho sobre a bibliografia e o perfil militar do Marechal José Pessoa, com ênfase na sua importante participação na localização e construção de Brasília-DF.

As inscrições e instruções reguladoras do prêmio cultural estão disponibilizadas no site da Biblioteca do Exército (BIBLIEx): - www.bibliex.eb.mil.br [Link].

O trabalho tem que ser inédito e não publicado (ensaio, dissertação, monografia, tese, etc.), no gênero estudos históricos (incluídas memórias, biografias, etc.) e literários.

O Projeto Vera Cruz é uma iniciativa do Exército Brasileiro para reconhecer oficialmente as contribuições do Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque na escolha da localização e construção de Brasília como Capital Federal do País.

Histórico

Em 1954, aos 71 anos de idade, o Marechal José Pessoa foi convidado pelo presidente Café Filho para presidir a Comissão de Localização e Construção da Nova Capital do Brasil. A comissão presidida pelo militar apresentou a proposta do projeto de urbanização da capital que teve a importante contribuição do arquiteto Raul Penna Firme, na época, integrante da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN).

O economista Pailo Timm, ex-diretor da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), redigiu um texto destacando o trabalho da Comissão. Nele, Belcher, representante da empresa Donald J. Belcher and Associates Incorporated, disse que: “...a iniciativa do Brasil é a primeira na História a basear a sua localização em fatores econômicos e científicos, bem como nas condições de clima e beleza da região, a Comissão de Localização encontra-se então em condições de dar o seu veredicto sobre o sítio mais apropriado à nova capital, no dia 9 de maio de 1955: um território de 5.800Km2, com limites de latitudes entre os paralelos 15º 30` S, envolvendo os sítios “Castanho” e “Verde” seria o novo limite do Distrito Federal, na forma da lei”.

A proposta da estrutura da cidade apresentada pela comissão chefiada pelo Marechal José Pessoa sugeriu a construção de eixos ortogonais (como desenho geral da capital, a lembrar uma cruz) em função de o Brasil possuir uma população predominantemente cristã. A equipe, em seu projeto, propôs, então, que o nome da nova capital fosse Vera Cruz, primeiro nome dado ao Brasil.

A planta definitiva apresentada pela equipe continha: as superquadras, os anéis rodoviários, os trevos em cruzamentos rodoviários (tesourinhas), um lago na porção leste da cidade, além de um completo plano urbanístico, possuindo rede de esgotos, esquemas de transportes, de abastecimento, habitação, fornecimento de água e energia elétrica para a nova capital.

O trabalho desenvolvido pela equipe do Marechal José Pessoa foi bastante relevante, entretanto é importante retificar o valor daqueles que foram os protagonistas do projeto final que culminou na construção de Brasília.