29 de Novembro, 2016 - 12:00 ( Brasília )

Terrestre

EB - 2ª DE realiza Exercício Agulhas Negras


No dia 23 de novembro, teve início o Exercício de Adestramento Agulhas Negras 2016, com o embarque de tropas da Brigada Aeromóvel para uma manobra de infiltração em área hostil simulada. Ao todo, 34 militares do 4° Batalhão de Infantaria Leve e da 5ª Bateria de Artilharia Antiaérea, unidades localizadas em Osasco (SP), foram transportados em helicópteros HM4-Jaguar, pertencentes à Aviação do Exército, de Taubaté para a região de Paraibuna (SP).

Os objetivos foram balizar a zona de pouso para um desembarque de unidade aeromóvel, que ocorreu 36 horas depois, e realizar o reconhecimento do caminho até o ponto de ataque. Durante o exercício, os militares ficaram ocultos no terreno e tiveram, como companhia, apenas o colega ao lado e a mochila, que pesa cerca de 20 quilos. Aos artilheiros, coube a missão de garantir a proteção da zona de pouso da cabeça de ponte aeromóvel.

O Comandante da 2ª Divisão de Exército (DE) e Diretor do Exercício, General de Divisão Décio Luís Schons, explicou o que significa o Agulhas Negras para a 2ª DE. “Esse exercício, na verdade, é o coroamento do ano de instrução de 2016. A finalidade do adestramento foi, portanto, a prática em todos os níveis. O Agulhas Negras é um exercício guarda-chuva, que enfeixa todas as habilidades, as competências e as capacidades, desde o soldado até o Grande Comando”, afirmou.

Deslocamento de unidade aeromóvel

No dia 25 de novembro, mais de 500 militares foram introduzidos na zona de operações, em uma continuação da simulação. O assalto aeromóvel consistiu em uma das primeiras fases da operação ofensiva, envolvendo o emprego de helicópteros por parte de unidades de infantaria aeromóvel, visando conquistar objetivos de relevo para a segurança de toda a manobra.

Exercício Agulhas Negras

Trata-se do exercício de adestramento avançado da 2ª DE, que tem como objetivos capacitar as tropas participantes para realizar operações ofensivas, defensivas, de pacificação e de apoio a órgãos governamentais, bem como exercitar a ação de comando e a capacidade de liderança em todos os níveis.

A 21ª edição do Exercício Agulhas Negras, denominada Operação Paraitinga, foi realizada no Vale do Paraíba e contou com a presença de mais de 3,5 mil militares de 16 unidades, tais como a 11ª Brigada de Infantaria Leve, 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), Comando de Aviação do Exército, 1ª Brigada de Infantaria Pará-quedista, 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, 1° Batalhão de Guerra Eletrônica e 1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (1º Btl DQBRN).