22 de Abril, 2015 - 12:28 ( Brasília )

Tecnologia

SJC - Universidade do Ar Embry-Riddle

Americanos estudam criação de Universidade do Ar em São José em antiga fábrica da AVIBRAS


Júlio Ottoboni
Correspondente DefsaNet

 

A antiga fábrica da AVIBRAS, em São José dos Campos, poderá abrigar a Universidade do Ar. Um grupo norte americano está interessado em estabelecer esse centro de ensino na cidade, que concentra o maior polo aeroespacial do hemisfério sul do planeta, além da proximidade com outros centros interessantes, como o de aeronaves de asas rotativas, em Itajubá (MG), formado a partir da HELIBRAS.

Além da expansão do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), São José dos Campos pode ganhar um novo reforço na área acadêmica ligada as atividades aeroespaciais. Uma delegação da Universidade Aeronáutica Embry-Riddle,  dos Estados Unidos, discute a possibilidade de abrir um campus no município.
“Queremos nos instalar no Brasil, pois temos certeza que podemos contribuir com o desenvolvimento da indústria aeronáutica no país”, afirmou John Watret, vice-presidente da Embry-Riddle Aeronautical University (ERAU), aos integrantes da prefeitura local.

Entre os prédios que estão sendo analisados pelos norte americanos está a antiga fábrica da AVIBRAS, ao lado do aeroporto da cidade e da Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER). O local é um dos alvos estudados para abrigar o possível  campus.

 “São 95 mil metros quadrados de área total, que incluem dois prédios de 10 mil metros quadrados cada um e um restaurante de 300 lugares. É perto da EMBRAER, do DCTA e do ITA, e tem um acesso direto à pista do aeroporto”, detalhou o gerente de desenvolvimento de negócios da Avibras, Marcos Agmar. A empresa não tem mais interesse na área e pretende negocia-la. Suas atividades fabris estão concentradas da unidade 2, sediada em Jacareí.

Considerada um dos principais centros de formação aeroespacial do mundo, com 26 mil alunos em 150 localidades do planeta, a Embry-Riddle tem dois campi residenciais, um na Flórida e outro no Arizona. Ambos ficam ao lado de aeroportos, o que facilita no processo de pesquisa e atividades de campo.

 “Adotamos o conceito de Aeroporto-Escola. Nossos cursos abrangem todo o espectro das atividades aeronáuticas e espaciais, e nosso objetivo é formar profissionais qualificados em todos esses segmentos”, enfatizou Fábio Campos, representante da universidade no Brasil.

Segundo o executivo, a ERAU pretende criar parcerias com o ITA e outras entidades do setor no Brasil, isso se somaria a Academia do Espaço, que será criada pela empresa francesa Thales em conjunto com o instituto militar.

“Além de São José dos Campos, várias cidades como São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre já mostraram interesse em sediar um campus da ERAU. Mas São José já tem tradição e know-how no setor aeroespacial”, informou Campos.

Universidade do Ar é um projeto do  Grupo São José 2030, liderado pelo engenheiro e fundador da Embraer, Ozires Silva. A intenção é aproveitar o potencial da cadeia produtiva e de pesquisa aeronáutica existente no município, potencializando-a para as necessidades futuras do setor.

São José dos Campos tem o maior polo aeroespacial do hemisfério sul e concentra praticamente toda cadeia produtiva para a fabricação de aeronaves,  além de uma infraestrutura na qualificação de mão de obra já estabelecida em cursos técnicos voltados para atender essa demanda.