COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

26 de Fevereiro, 2019 - 10:10 ( Brasília )

Nave israelense Beresheet foi lançada rumo à Lua em 22 de fevereiro

Missão que pousará nave na Lua está a caminho

A jornada da Beresheet vai durar cerca de dois meses até o pouso previsto em 11 de abril de 2019 Por que este é um evento histórico?

· A Beresheet é a primeira nave espacial enviada à Lua por iniciativa privada e não governamental.

· A Beresheet é a menor nave espacial em relação ao peso.

· Foi desenvolvida e construída a um custo de apenas US$100 milhões, comparados aos bilhões gastos em projetos similares.

· Será a mais longa jornada até o pouso na Lua, totalizando 6,5 milhões de quilômetros.

· Israel se juntará às avançadas potências mundiais que enviaram com sucesso uma nave espacial à Lua: Rússia (1966), EUA (1969) e China (2013).

Morris Kahn, Presidente da SpaceIL: “Oito anos atrás nós nos aventuramos nessa jornada que estará perto de se completar em cerca de dois meses quando pousarmos na Lua. Estamos fazendo história e temos orgulho de integrar um grupo que sonhou e concretizou esse feito que muitos países almejam realizar mas até hoje apenas três realizaram. No dia 17 de fevereiro, apresentamos o projeto Beresheet como um presente ao presidente de Israel, país onde foi declarado um projeto nacional. Eu não poderia estar mais orgulhoso de dar esse presente ao povo de Israel e torná-lo parte do etos israelense de tecnologia, ousadia e grande coragem”.

Ido Antebi, CEO da SpaceIL NGO: “Nossa jornada à Lua implica muitos desafios, o que torna a empreitada extremamente complexa. Cada passo bem-sucedido habilita o próximo até o pouso na Lua. Durante muitos meses, nossas equipes e a equipe da IAI realizaram testes na nave e em seus sistemas, conduzindo intrincados experimentos e preparando-se para cada cenário possível da missão, cujo êxito encherá Israel de orgulho”.

Nimrod Sheffer, CEO da Israel Aerospace Industries: “A cooperação com a SpaceIL é um exemplo das façanhas que podem ser alcançadas pelo Estado de Israel e um símbolo do caminho trilhado por Israel desde sua fundação. E, o mais importante, ela ilustra as façanhas ainda mais elevadas que podem ser realizadas — o know-how, os recursos e o capital humano estão todos disponíveis para isso. A viagem à Lua é repleta de desafios, mas graças ao profissionalismo, determinação e fé de todos os parceiros no projeto, uma nave espacial israelense será enviada à Lua nos próximos dias. A IAI, juntamente com nossos parceiros na SpaceIL, continuará a fazer todo o necessário para garantir o sucesso dessa missão".

A SpaceIL e a IAI realizaram o lançamento da nave espacial israelense Beresheet no dia 22 de fevereiro.

O processo de lançamento

Uma vez lançada, a nave inicia uma longa e complexa órbita. O lançamento aconteceu às 3h45, hora local de Israel, quando o foguete Falcon 9 foi lançado fora da atmosfera a partir de Cabo Canaveral. Aproximadamente 32 minutos mais tarde, a nave se separa do lançador.

Minutos depois dessa etapa crucial, se tudo corre conforme planejado, esperamos receber indicações preliminares da nave para a sala de controle localizada em Yehud, Israel. Isso permite confirmar que a nave está a caminho. Mais alguns minutos, e os trens de pouso da nave se abrem e iniciamos uma série de testes de todos os sistemas da nave para nos assegurar de que sobreviveram com êxito ao lançamento e estão funcionando bem no espaço.

Os principais desafios da viagem à Lua

São cinco os principais desafios da viagem da nave até a Lua. Primeiro, o lançamento traz em si vários riscos. Segundo, localizar a nave e contatá-la na vasta distância até a Lua é uma tarefa bastante intrincada. Terceiro, a durabilidade da nave em condições extremas no espaço, navegação complexa (sem GPS), etc.

Quarto, o Ponto de Captura da Lua, onde a nave precisa mudar das órbitas terrestres para a órbita da Lua. A fim de realizar a mudança, a nave deve atingir o local certo no momento certo, na velocidade e direção certas, de modo que uma manobra de freada possibilite que a gravitação da Lua a capture. O desafio final é o mais difícil: o pouso na Lua.

A jornada da nave até a Lua — a mais longa de todas

A nave orbitará a Terra em órbitas elípticas e viajará 6,5 milhões de quilômetros — a mais longa distância jamais percorrida até a Lua. Durante essas órbitas, a nave elevará sua órbita em redor da Terra até se aproximar da Lua.

Quando estiver na órbita lunar, cerca de 10 dias antes de pousar, orbitará em torno da Lua até o momento aprazado e um processo autônomo de pouso terá início. A rota levará cerca de dois meses até o pouso previsto em 11 de abril de 2019.

Como tudo começou?

Embora esse seja um feito nacional e histórico, baseia-se em uma iniciativa privada concebida há oito anos pelos três fundadores da SpaceIL, com dois principais objetivos: enviar uma nave espacial israelense à Lua e estimular a nova geração a estudar ciência e tecnologia.

Na esperança de concretizar esse sonho, os jovens empreendedores Yariv Bash, Kfir Damari e Yehonatan Weintraub inscreveram-se no Desafio Google Lunar XPRIZE. A competição terminou sem vencedor em março de 2018. A SpaceIL, porém, anunciou que continuaria trabalhando em sua missão.

A primeira nave do mundo construída para uma missão não governamental

Desde a fundação da SpaceIL, a tarefa de enviar uma nave israelense à Lua tornou-se um projeto nacional — mas custeado por doadores — encabeçado por Morris Kahn. Essa é a nave espacial com a menor verba já construída para semelhante missão. As superpotências que conseguiram enviar uma nave espacial à Lua gastaram centenas de milhões de dólares com patrocínio governamental.

O desenvolvimento e a construção da nave com verba tão limitada é um feito significativo em si, tanto para o Estado de Israel como para a indústria espacial mundial. Se a missão tiver êxito, será um marco tecnológico em escala internacional.

A relevância do projeto para o Estado de Israel

Pousar uma nave espacial na Lua será uma extraordinária conquista para o pequeno Estado de Israel. O projeto demonstra a capacidade tecnológica de Israel e abre muitas oportunidades para ela. Primeiro, promoverá sobretudo a educação científica para a próxima geração: desde sua fundação, a NGO já se encontrou com mais de um milhão de estudantes no país. Segundo, avançará e promoverá a ciência e a pesquisa.

Terceiro, abrirá um novo horizonte para a economia israelense, graças ao seu conhecimento de engenharia e recursos avançados para desenvolvimento. O sucesso da Beresheet é um símbolo do sucesso de Israel nesse e em outros campos.

O processo de desenvolvimento e construção

O processo de desenvolvimento e construção da nave incluiu um extenso trabalho de engenheiros, cientistas e membros da equipe. O desenvolvimento conduzido pela SpaceIL e IAI iniciou-se em 2015 e durou até 2018. A nave pesa somente 600 quilos, sendo considerada a menor a pousar na Lua.

A Beresheet mede 1,5 metro de altura e 2 metros de largura, carregando uma quantidade de combustível que equivale a aproximadamente 75% de seu peso. Atinge a velocidade máxima de 10 km por segundo (36.000 km/h).

A bandeira de Israel na Lua, a selfie e uma missão científica em conjunção com a NASA via Agência Espacial de Israel

Tendo pousado na Lua, a nave com a bandeira de Israel começará a tirar fotografias do terreno de pouso e uma selfie para provar que chegamos à Lua. A nave deve completar uma importante missão científica: medir o campo magnético da Lua como parte de um experimento em parceria com o Weizmann Institute. Sob um acordo com a Agência Espacial de Israel, a NASA também participa da missão. A NASA instalou um retrorrefletor a laser na nave e auxiliará na comunicação da nave na Lua.

A cápsula do tempo: uma imensa base de dados sobre a humanidade como ela é hoje

A nave carrega uma “cápsula do tempo” — uma imensa base de dados com centenas de arquivos digitais que abarcam detalhes sobre a NGO, a nave e a equipe do projeto, símbolos nacionais, itens culturais e materiais coletados do público em geral ao longo dos anos, devendo ser colocada na Lua pela nave.

A cápsula do tempo permanecerá na Lua mesmo depois de finalizada a missão. Como a nave não retornará à Terra, a informação que ela carrega deve permanecer na Lua por tempo indeterminado, podendo ser encontrada e distribuída por futuras gerações.

Acondicionamento e transporte da nave até o local do lançamento nos EUA

Em janeiro de 2019, a nave foi embalada e transportada por via aérea até o local de lançamento nos Estados Unidos, em uma complexa operação de logística. Foi acondicionada em um contêiner exclusivo com estrutura e engenharia adaptadas para acomodar a carga sensível.

Após chegar ao aeroporto de Ben-Gurion, a nave foi colocada em um avião com temperatura controlada. Ao chega em Orlando, Flórida, foi transportada por terra para o local de lançamento na Flórida.

Parceiros e doadores

A IAI tem atuado como parceira integral no projeto desde sua concepção. No decorrer dos anos, outros parceiros do setor privado, governamental e acadêmico foram adicionados. Os mais proeminentes dentre eles são o Weizmann Institute of Science, a Agência Espacial de Israel, O Ministério de Ciência e Tecnologia, Bezeq e outros.

Entre os principais contribuidores do projeto estão Miri e Sheldon Adelson, Sammy Sagol, Lynn Schusterman, Sylvan Adams, Stephen Grand e outros. O filantropo e empresário Morris Kahn assumiu a liderança para completar a missão, investindo US$ 40 milhões no projeto e atuando como presidente da SpaceIL.


VEJA MAIS