24 de Outubro, 2016 - 12:00 ( Brasília )

SOF

Fuzileiro naval aposentado explica como encontrou água em um deserto

Em um trecho do livro 100 Deadly Skills: Survival Edition, o fuzileiro naval aposentado Clint Emerson explica como encontrar água em um deserto.

Qual é a sua melhor chance contra a desidratação em um ambiente árido?

Ninguém entra em um deserto sem levar água o suficiente. Mas quando seus suprimentos diminuem, tomar as precauções para manter seu corpo hidratado, incluindo procurar novas fontes de água, é a diferença entre a vida e a morte.

Conserve os níveis atuais de água do seu corpo: mantenha-se todo coberto enquanto viaja durante o dia. Como o vento sopra sobre a roupa umedecida de suor, você consegue se manter refrescado.

Uma dica melhor ainda é seguir o protocolo de deslocamentos no deserto, que envolve descansar durante o dia e viajar durante a noite, quando fica bem mais fácil economizar energia e você ainda sua menos. Se você estiver completamente sem água, não coma nada. O processo de digestão esgotará rapidamente o resto da umidade que você tem no corpo. As pessoas podem viver muito mais tempo sem alimento do que sem água. 

Procure terrenos altos: quando as formações de terra permitirem, procure abrigo em locais altos durante o dia. Enquanto você traça o rumo mais provável até um possível resgate, procure por potenciais fontes de água no caminho. Do mais alto possível, procure por animais ou faixas de vegetação. Ao nível do solo, enxames de insetos são um indicador positivo. Procure sinais de vida, pois toda a vida precisa de água. 

Cave o chão: leitos de rios secos podem esconder reservas de hidratação em forma de areia úmida. Se não encontrar nada após cavar pelo menos 30 centímetros, tente em locais um pouco mais à frente. Mesmo um rio que secou há muito tempo pode abrigar um pouco de umidade. 

Colete o orvalho: como um último recurso, sacrifique parte da sua movimentação noturna para tirar as roupas e coletar o orvalho matinal. Usando uma técnica semelhante em regiões atingidas pela seca, pesquisadores foram capazes de coletar meio litro de orvalho em um único metro quadrado.