COBERTURA ESPECIAL - Russia Docs - Aviação

30 de Janeiro, 2019 - 11:44 ( Brasília )

VARIG - O misterioso voo RG967 Desaparecido há 40 Anos

Boeing B707 da Varig sumiu misteriosamente em 30 Janeiro 1979. Quatrto anos após os soviéticos abatem o Korean Airlines KAL 007.


Vinícius Casagrande
Site Todos a Bordo

Um dos maiores mistérios da aviação mundial segue sem qualquer resposta há exatos 40 anos. Trata-se do desaparecimento do Boeing 707 cargueiro da companhia aérea brasileira Varig, que fazia o voo RG 967, ocorrido no dia 30 de janeiro de 1979.

O jato decolou do aeroporto de Narita, em Tóquio (Japão), com destino ao Rio de Janeiro, com parada prevista em Los Angeles (EUA) para reabastecimento. Cerca de 30 minutos após a decolagem, o Boeing 707 simplesmente desapareceu, e os controladores não conseguiram mais contato com os pilotos.

O caso é bastante semelhante ao desaparecimento de um Boeing 777 da companhia aérea Malaysia Airlines, ocorrido em março de 2014. Nos dois casos, os pilotos não relataram qualquer problema técnico, os aviões desapareceram misteriosamente e jamais foram encontrados.

E na teoria cospiratória similar ao caso do Korean Airlines KAL 007, Boeing B747 civil coreano que foi derrubado por jatos interceptadores soviéticos em 1 de setembro de 1983, sobre o mar de Okhotsk, a oeste da ilha de Sacalina. Alegação que não foi identificado como uma aeronave civil e os soviéticos achavam que era provocação americana.

Piloto chegou a fazer contato antes de desaparecer

No caso do avião da Varig, o desaparecimento teria ocorrido a cerca de 500 quilômetros da costa do Japão, sobre o oceano Pacífico. O avião decolou do aeroporto de Narita às 20h23 no horário local. O comandante Gilberto Araújo da Silva chegou a fazer um primeiro contato com o controle de tráfego aéreo para informar sua posição.

O segundo contato, que deveria ter acontecido uma hora após a decolagem, nunca aconteceu. Com isso, as autoridades japonesas acionaram o alerta para o possível acidente com o avião brasileiro. No entanto, como já era noite no Japão, as buscas começaram para valer somente na manhã seguinte.

Equipes de resgate trabalharam intensamente nos primeiros dias na região onde supostamente o avião teria caído. Não foram encontrados vestígios do Boeing 707, manchas de óleo nem corpos dos tripulantes. Nos meses seguintes, a área de busca foi ampliada, mas jamais foi encontrada qualquer pista do jato da Varig.

A companhia brasileira também nunca chegou a uma conclusão sobre o que pode ter ocorrido com o seu avião cargueiro. "Não foi possível encontrar nenhum indício que lançasse qualquer luz sobre as causas do desaparecimento da aeronave", afirmou a empresa, na época, em um relatório sobre o caso.

Piloto já havia sofrido acidente em Paris

Por se tratar de um avião cargueiro, não havia passageiros no voo. Estavam a bordo do Boeing 707 da Varig seis tripulantes, que se revezariam durante o voo: os comandantes Gilberto Araújo da Silva, Erni Peixoto, os copilotos Evans Braga e Antonio Brasileiro da Silva Neto e os engenheiros Nicola Esposito e José Severino de Gusmão Araújo.

Entre eles, a história que mais chama a atenção é a do comandante Gilberto Araújo da Silva. Em 1973, ele havia se envolvido em um grave acidente, também com um Boeing 707, quando fazia o voo RG 820.

O voo da Varig havia decolado do Rio de Janeiro para Paris (França), de onde seguiria para Londres (Reino Unido). Quando se aproximava do aeroporto de Orly, em Paris, teve início um incêndio dentro da cabine de passageiros. O fogo teria começado após um dos passageiros jogar uma bituca de cigarro acesa no cesto de lixo. O fumo a bordo só começou a ser proibido no final dos anos 1990.

Uma fumaça negra rapidamente se espalhou dentro do avião. Sem enxergar nada, o comandante Gilberto foi obrigado a fazer um pouso de emergência em uma plantação de cebolas a apenas um quilômetro do aeroporto de Orly. O acidente causou 123 mortes, a maioria por intoxicação. Além do comandante Gilberto, outros nove tripulantes e apenas um passageiro sobreviveram.

Teorias da conspiração e carga milionária

No desaparecimento do Boeing 707 cargueiro, algumas teorias e suposições chegaram a ser levantadas na época, mas sem qualquer tipo de comprovação. Elas vão desde um sequestro por colecionadores de arte até um ataque de caças soviéticos para proteger segredos militares, como o projeto de um caça, que supostamente estariam a bordo do avião da Varig.

O Boeing 707 da Varig transportava cerca de 20 toneladas de carga. Entre equipamentos eletrônicos, peças para navios e computadores e máquinas de costura, o voo levava também dezenas de quadros do pintor nipo-brasileiro Manabu Mabe, avaliados, na época, em US$ 1,2 milhão.

O KAL 007

O voo Korean Airlines 007, conhecido também como KAL 007 ou KE007, era um avião civil coreano que foi derrubado por jatos interceptadores soviéticos em 1 de setembro de 1983, sobre o mar de Okhotsk, a oeste da ilha de Sacalina.

Os 269 passageiros e tripulantes, incluindo um congressista norte-americano, Lawrence McDonald, estavam a bordo do voo KAL 007; ninguém sobreviveu. A União Soviética afirmou que não sabia que o avião era civil e como tinha entrado no espaço aéreo soviético, pensaram que era uma provocação deliberada dos Estados Unidos, e foi decidido que eles iriam testar suas capacidades militares, repetindo o incidente do voo KAL 902,que foi derrubado por dois caças soviéticos sobre a península de Kola em 20 de abril de 1978. O incidente atraiu uma onda de protestos através do mundo, particularmente nos Estados Unidos.



Outras coberturas especiais


Guerra Informação e Híbrida

Guerra Informação e Híbrida

Última atualização 19 FEV, 11:10

MAIS LIDAS

Russia Docs