COBERTURA ESPECIAL - Russia Docs - Geopolítica

06 de Janeiro, 2017 - 13:45 ( Brasília )

Rússia anuncia redução das suas forças militares na Síria

Força Tarefa do porta-aviões Almirante Kuznetsov serão os primeiros a seem desmobilizados do conflito

Text in English

Includes some number abou Russia operation in Syria

Russia start Force Reduction in Syria Link

The Editor




MOSCOU — A Rússia declarou nesta sexta-feira que começou a reduzir seu aparato militar na Síria com a retirada de seu porta-aviões e alguns outros navios de guerra. Este seria o primeiro passo para a remoção das suas forças bélicas do país, onde o conflito armado já completa seis anos. O chefe do Estado-Maior russo, o general Valery Gerasimov, disse que o porta-aviões Kuznetsov e os navios que o acompanharão serão os primeiros a partir.

— Os objetivos atribuídos ao grupo aeronaval durante a sua missão foram alcançados — afirmou o comandante das forças russas na Síria, Andrei Kartopalov, segundo as agências russas.

Segundo a estatal de notícias "Tass", o Ministério da Defesa russo está começando a reduzir o número de Forças Armadas na Síria, seguindo uma decisão do presidente Vladimir Putin. Moscou tem sido um dos principais aliados do governo e das forças do presidente sírio, Bashar al-Assad, na devastadora guerra civil no Oriente Médio.

Em março do ano passado, Putin chegou a anunciar que reduziria as forças russas mobilizadas para a guerra na Síria. Mas pouco depois reforçou a presença militar no território síiro quando aumentaram os combates no país.

Desde novembro, o único grupo aeronaval russo que participava de operações aéreas na Síria atuava no Leste do Mediterrâneo. Os seus bombardeios tinham como alvo as posições de grupos jihadistas, além de respaldar o Exército sírio com ataques aéreos desde 30 de setembro de 2015.

As tropas de Damasco retomaram em dezembro o controle da cidade de Aleppo, a segunda maior cidade do país e o epicentro da guerra civil. Esta é considerada a maior vitória de Assad desde o início dos conflitos.

Junto a Turquia e Irã, a Rússia pressiona agora para que sejam realizadas neste mês negociações de paz em Astana, capital do Casaquistão. A guerra civil síria já deixou mais de 310 mil mortos desde março de 2011 e provocou uma grave crise humanitária, uma vez que milhões de pessoas deixaram seus lares para se tornar refugiados, sobretudo, em países vizinhos e europeus.

Nota - analistas ocidentais levantam que a retirada do Grupo Tarefa Almirante Kuznetsov está ligada aos acidentes recentes.

Um MIG-28K caiu no mar, em novembro 2016, ao ter uma pane seca (falta de combustível) ao esperar pela ordem de pouso enquanto a tripulação trabalha para consertar o cabo de aço do catrapo.

Em dezembro um Su-33 também foi perdido na segunda tentativa de pouso no Almirante Kuznetsov. Possivelmente por falha no cabo de aço.

Após estes incidentes o porta-aviões ancorou em porto sírio.

Foi do porta-aviões Almirante Kuznetsov que partiram as primeiras operações militares embarcadas na história da União Soviética e da Rússia.

Matéria Relacionada

Rússia - Pela primeira vez na história usa porta-aviões em operações militares Link




O vídeo da Força Tarefa russa liderada pelo porta-aviões Almirante Kuznetsov, operando na costa da  Síria (2016), foi publicado pelo DoD Russo, no dia 03 JAN 2017.

Durante as operações na Síria as Forças Armadas Russas pela primeira vez na história empregaram porta-aviões em operações militares.  No dia 06 de Janeiro os russos anuncia o começo da retirada de suas Forças na Síria pelo Grupo Tarefa liderado pelo porta-aviões Almirante Kuznetsov