COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

06 de Setembro, 2017 - 11:30 ( Brasília )

Coreia do Norte adverte que "mais pacotes de presente" estão a caminho dos EUA


A Coreia do Norte disse nesta terça-feira que endereçou recentemente um “pacote de presente” aos Estados Unidos, e que mais virão em seguida.

Han Tae Song, embaixador da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas, em Genebra, fez a declaração em pronunciamento à Conferência do Desarmamento promovida pela ONU, dois dias depois que seu país conduziu seu sexto e maior teste nuclear até o momento.

“As recentes medidas de autodefesa do meu país são pacotes de presente endereçados a ninguém mais que os EUA”, disse Han, ao fórum.

“Os Estados Unidos continuarão a receber mais pacotes de presente do meu país enquanto continuarem recorrendo a provocações imprudentes e tentativas fúteis de colocar pressão na Coreia do Norte”, disse.

Putin diz que apenas sanções e pressão não resolverão crise da Coreia do Norte


Resolver a crise nuclear e de mísseis da Coreia do Norte é impossível apenas com sanções e pressão, disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta quarta-feira, após reunião com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in.

Putin se encontrou com o presidente da Coreia do Sul durante uma cúpula econômica na cidade russa de Vladivostok, em meio à crescente preocupação internacional de que a Coreia do Norte esteja planejando mais testes de armas, incluindo um possível lançamento de um míssil de longo alcance antes do fim de semana.

Putin condenou o sexto e mais potente teste de bomba nuclear da Coreia do Norte no domingo, dizendo que a Rússia não reconhece seu status nuclear.

“Os programas nuclear e de míssil de Pyongyang são uma violação grosseira das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, comprometem o regime de não proliferação e criam uma ameaça para a segurança do nordeste da Ásia”, disse Putin, em coletiva de imprensa conjunta.

“Ao mesmo tempo, é claro que é impossível resolver o problema da península coreana apenas com sanções e pressão”, disse.

Dúvida sobre sanções contra Coreia do Norte aumenta em meio a novas ameaças aos EUA

Um diplomata de alto escalão da Coreia do Norte alertou nesta terça-feira que seu país está pronto para enviar mais “pacotes de presentes” aos Estados Unidos enquanto as potências mundiais buscam uma resposta ao teste de armas nucleares mais recente de Pyongyang.

Han Tae Song, embaixador norte-coreano na Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra, confirmou que a Coreia do Norte, conhecida oficialmente como República Democrática Popular da Coreia (RDPC), teve sucesso em seu sexto e maior teste com uma bomba nuclear no domingo.

“As medidas recentes de legítima defesa do meu país, a RDPC, são um pacote de presentes endereçado a ninguém mais que os EUA”, disse Han em uma conferência de desarmamento.

“Os EUA receberão mais ‘pacotes de presentes’ de meu país enquanto continuarem a recorrer a provocações irresponsáveis e tentativas fúteis de pressionar a RDPC”, acrescentou, sem dar maiores detalhes.

Na segunda-feira a embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley, acusou o líder norte-coreano, Kim Jong Un, de “implorar por guerra” com uma série de testes de mísseis e bombas nucleares. Ela exortou o Conselho de Segurança a impor as sanções “mais fortes possíveis” para contê-lo e reprimir seus parceiros comerciais.

Mas o embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, disse nesta terça-feira que a iniciativa dos EUA para que o Conselho de Segurança vote novas sanções no dia 11 de setembro é “um pouco prematura”. A Rússia é um membro permanente do conselho e tem poder de veto.

“Não acho que conseguiremos apressar isso tanto”, disse Nebenzia aos repórteres. Mais cedo nesta terça-feira o presidente russo, Vladimir Putin, descreveu mais sanções como “uma estrada para lugar nenhum”.

As ações de Wall Street caíam nesta terça-feira, quando os pregões dos EUA reabriram pela primeira vez desde o teste de bomba nuclear norte-coreano, e o dólar e os títulos do Tesouro também tiveram queda.

As sanções fizeram pouco para impedir Pyongyang de fortalecer sua capacidade nuclear e de mísseis enquanto enfrenta o presidente dos EUA, Donald Trump, que prometeu impedir que o regime seja capaz de atingir o território continental norte-americano com uma arma nuclear.

Haley admitiu que mais sanções contra a Coreia do Norte dificilmente mudarão seu comportamento, mas disse que cortariam o financiamento para seus programas nuclear e de mísseis balísticos.

Europa pode estar dentro do alcance de mísseis norte-coreanos em breve, diz França



A ministra de Defesa da França, Florence Parly, alertou nesta terça-feira que a Coreia do Norte pode desenvolver mísseis balísticos capazes de alcançar a Europa antes do esperado.

“O cenário de uma escalada em direção a um grande conflito não pode ser descartado”, disse Parly, em discurso para as Forças Armadas francesas.

“A Europa arrisca estar dentro do alcance dos mísseis de Kim Jong Un (líder norte-coreano) mais cedo do que o esperado”, disse.


VEJA MAIS