COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

02 de Maio, 2017 - 12:00 ( Brasília )

Coreia do Norte diz que voos de bombardeiros dos EUA levam península para beira de guerra nuclear


A Coreia do Norte acusou os Estados Unidos nesta terça-feira de levaram a península coreana para a beira de uma guerra nuclear depois que dois bombardeiros estratégicos norte-americanos realizaram exercícios de treinamento com as forças aéreas da Coreia do Sul e do Japão, em mais uma demonstração de força dos EUA na região.

As duas aeronaves supersônicas B-1B Lancer foram mobilizadas em meio à crescente tensão sobre o desenvolvimento dos programas nuclear e de míssil da Coreia do Norte em desafio a sanções da ONU e a pressão dos Estados Unidos.

O voo das duas aeronaves na segunda-feira veio enquanto o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que ficaria "honrado" em encontrar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, nas circunstâncias corretas, e enquanto o diretor da CIA aterrissou na Coreia do Sul para conversas.

O porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Moon Sang-gyun, disse em uma coletiva de imprensa em Seul que o exercício conjunto de segunda-feira foi conduzido para desencorajar provocações da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte disse que as aeronaves conduziram um "exercício de lançamento de bomba nuclear contra objetos importantes" em seu território, em um momento em que Trump e "outros militaristas norte-americanos estão pedindo para fazer um ataque nuclear preventivo" na Coreia do Norte.

"A imprudente provocação militar está empurrando a situação da península coreana para a beira de uma guerra nuclear", informou a agência de notícias oficial da Coreia do Norte, KCNA, nesta terça-feira.

Trump conversa com aliados asiáticos sobre ameaça nuclear da Coreia do Norte

O presidente norte-americano, Donald Trump, está intensificando os esforços para discutir com aliados na Ásia a ameaça nuclear norte-coreana e garantir que todos estejam “na mesma página” caso ações sejam necessárias, disse neste domingo uma autoridade sênior da Casa Branca.

O chefe de gabinete da Casa Branca, Reince Priebus, afirmou que Trump conversará neste domingo com líderes de Cingapura e da Tailândia, após a Coreia do Norte testar o lançamento de outro míssil, que Washington e Seul dizem não ter sido bem sucedido, mas que foi amplamente condenado pela comunidade internacional.

As ligações telefônicas ocorrem após a conversa de Trump na noite de sábado com o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte. Há uma semana, o líder norte-americano já havia conversado com os presidentes da China e do Japão sobre a Coreia do Norte.

“Precisamos de cooperação em algum nível com o maior número possível de parceiros na área”, disse Priebus ao programa “This Week”, da emissora ABC. “Precisamos estar na mesma página”, explicou o chefe de gabinete da Casa Branca.

O presidente dos EUA, que alertou sobre a possibilidade de um “grande, grande conflito” com a Coreia do Norte em entrevista à Reuters, não elaborou sobre quaisquer respostas norte-americanas ao teste de lançamento. “Vocês descobrirão em breve”, disse no sábado.


VEJA MAIS