COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

03 de Outubro, 2018 - 11:50 ( Brasília )

EUA irão destruir armamento russo proibido se necessário, diz embaixadora de Washington na OTAN


A Rússia deve interromper seu desenvolvimento secreto de um sistema de mísseis de cruzeiro proibido ou os Estados Unidos irão buscar destruí-lo antes que se torne operacional, disse nesta terça-feira a embaixadora de Washington na OTAN.

Os EUA acreditam que a Rússia está desenvolvendo um sistema de lançamento no solo em violação a um tratado da Guerra Fria e que poderia permitir que a Rússia realizasse um ataque nuclear na Europa rapidamente, mas Moscou tem consistentemente negado qualquer violação de tal tipo.

A embaixadora dos EUA para a OTAN, Kay Bailey Hutchison, disse que Washington permanece comprometido com uma solução diplomática, mas está preparado para considerar um ataque militar se o desenvolvimento do sistema de médio alcance continuar.

“Neste ponto, estaremos olhando para a capacidade de eliminar um míssil (russo) que poderia atingir qualquer um de nossos países”, disse Hutchison em entrevista coletiva. “Contramedidas (pelos EUA) serão eliminar os mísseis que estão em desenvolvimento pela Rússia em violação ao tratado”, acrescentou. “Eles estão notificados”.

Hutchison mais tarde esclareceu em publicação no Twitter que não falava sobre um ataque preventivo contra a Rússia. “Meu ponto: a Rússia precisa voltar a cumprir o Tratado INF ou nós iremos precisar igualar suas capacidades para proteger interesses dos EUA e da OTAN. A situação atual, com a Rússia em flagrante violação, é insustentável.”

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário de 1987 proíbe mísseis de médio alcance capazes de atingir a Europa ou o Alasca Em Washington, a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, disse que os EUA vinham argumentando por um tempo que Moscou não estava seguindo o tratado.

“A embaixadora Hutchison estava falando sobre melhorar a defesa geral e postura de dissuasão”, disse Nauert em entrevista coletiva. “Os Estados Unidos estão comprometidos em cumprir suas obrigações de controle de armas e esperam que a Rússia faça a mesma coisa”, disse, acrescentando que os EUA estão discutindo a questão com seus aliados.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia informou que tais afirmações são perigosas e que irá fornecer respostas detalhadas a Washington. “Parece que as pessoas que fazem tais afirmações não percebem o nível de responsabilidade e o perigo da retórica agressiva”, disse a porta-voz Maria Zakharova, segundo a agência de notícias Tass.


VEJA MAIS