COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

13 de Abril, 2017 - 10:55 ( Brasília )

Ao lado de Stoltenberg, Trump diz que OTAN ‘não é obsoleta’


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu nesta quarta-feira (12) o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, em Washington e afirmou que a entidade “não é mais obsoleta”.

“A OTAN é um baluarte de paz e de segurança internacional” e “trabalharemos juntos para resolver o desastre da Síria”, disse o mandatário voltando atrás de uma de suas frases mais polêmicas do início do mandato.   

Trump ainda agradeceu o apoio incondicional que recebeu do órgão por seu ataque contra uma base militar síria e disse que o ato foi uma resposta “ao ataque químico assassino usando as piores armas possíveis”.   

“É hora de dar fim à brutal guerra civil na Síria”, afirmou o mandatário chamando o presidente do país, Bashar al-Assad, de “açougueiro”.   

Por sua vez, Stoltenberg afirmou que os norte-americanos tem “na OTAN os seus melhores aliados do mundo”. A reunião desta quarta mostrou que o clima entre o presidente norte-americano e a entidade está caminhando em uma direção de normalidade, após uma troca pública de acusações.   

– Rússia: Durante a coletiva de imprensa, Trump foi questionado sobre a relação de seu governo com a Rússia e sobre a visita feita nesta quarta-feira por seu secretário de Estado, Rex Tillerson, ao ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov.   

O mandatário voltou a acusar os russos de apoiarem Assad e protegerem o ditador no caso do ataque químico, dizendo que é “provável” que o governo de Vladimir Putin soubesse da ação, supostamente, feita por Assad.   

Trump confirmou uma fala de Lavrov durante uma coletiva de imprensa hoje, de que as relações entre os dois governos “estão no mínimo” e disse que “não estamos andando em direção a um acordo” sobre a questão síria.

Putin diz que países da OTAN obedecem cegamente aos EUA¹

O presidente de Rússia, Vladimir Putin, acusou os países da OTAN de obedecerem cegamente aos Estados Unidos, "sem analisarem o que acontece", ao apoiarem o recente ataque contra uma base aérea na Síria, em uma entrevista a uma rede de televisão russa, cujos trechos foram exibidos nesta quarta-feira.

"Como reagiram os aliados da OTAN (ao ataque dos EUA)? Todos aceitam, como bonecos com cabeça de mola, sem analisarem o que acontece. Onde estão as provas do uso de armas químicas pelas tropas sírias? Não existem", disse Putin à emissora russa Mir.

"O que há é uma violação do direito internacional. É um fato. Um ataque contra um país soberano sem autorização do Conselho de Segurança da ONU. E, apesar de tudo, todos estão de acordo, todos aceitam e começam a assentir e a apoiar" a ação militar contra a Síria, acrescentou o presidente russo.

Os trechos da entrevista foram divulgados horas antes de o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, se reunir em Moscou com seu equivalente russo, Serguei Lavrov, com o conflito sírio no centro das atenções.

Tillerson também poderia se reunir com o próprio Putin, já que, apesar de o encontro não estar na agenda, o Kremlin não descartou esta possibilidade.

O secretário de Estado, o primeiro integrante do alto escalão do governo americano a visitar a Rússia desde a chegada de Donald Trump ao poder, pediu que Putin escolha entre o regime sírio de Bashar al Assad e uma aliança com Ocidente, em uma declaração publicada ontem pelo site do Departamento dos EUA.

"É essa uma aliança de longo prazo que serve aos interesses da Rússia ou (Putin) preferiria se unir aos Estados Unidos, junto com outros países ocidentais e do Oriente Médio, para resolver a crise na Síria?", disse Tillerson antes de embarcar rumo a Moscou.

O presidente americano Donald Trump disse ontem em uma entrevista à emissora "Fox" que Putin está apoiando "uma pessoa verdadeiramente má", em referência ao líder sírio Bashar al Assad.

Países da UE e da OTAN vão estabelecer centro europeu contra ameaças mistas²
 

Vários países membros da União Europeia (UE) e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) assinaram ontem (11) um memorando de entendimento em Helsinque, capital da Finlândia. O documento é destinado ao estabelecimento de um centro europeu contra ameaças mistas na capital finlandesa.

Os países signatários do memorando são Finlândia, Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, França, Suécia, Polônia, Letônia e Lituânia.

O governo da Finlândia afirmou que além dos Estados signatários mais países membros da UE e da OTAN vão apresentar requerimentos para se integrar ao centro. Por outro lado, a UE e a OTAN vão se empenhar na preparação e na operação do centro. Porém, as duas organizações não serão membros do órgão.


Com: ¹Terra e ² China Radio International - CRI


VEJA MAIS