COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

24 de Janeiro, 2017 - 11:25 ( Brasília )

EUA reiteram "compromisso inabalável" com a OTAN

Menos de duas semanas após críticas de Trump, secretário Mattis fala com autoridades europeias e reafirma importância da aliança militar para os EUA. Ele também alerta para necessidade de elevar gastos com a defesa.

O secretário americano da Defesa, James Mattis, assegurou ao seu homólogo britânico, Michael Fallon, o "compromisso inabalável" que os Estados Unidos têm com a OTAN, afirmou o Pentágono nesta segunda-feira (23/01), divulgando telefonema entre os dois.

"Os dois líderes discutiram a importância de nossos valores comuns, e o secretário enfatizou que, ao procurar aliados para ajudar a defender esses valores, os Estados Unidos sempre começarão pela Europa", disse o porta-voz do Pentágono, Jeff Davis.

Mattis também telefonou com o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, para reafirmar a importância da aliança.

Os telefonemas de Mattis a autoridades europeias de defesa ocorreram menos de duas semanas depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter dito à imprensa que a OTAN era obsoleta.

"Eu disse há muito tempo que a OTAN tem problemas. Número um: é obsoleta, porque foi projetada há muitos, muitos anos", afirmou Trump. Na entrevista aos jornais Bild, da Alemanha, e The Times, do Reino Unido, o presidente americano criticou os membros da OTAN por não respeitarem os gastos com defesa recomendados pela aliança. "Devemos proteger os países, mas muitos desses países não estão pagando o que deveriam pagar, o que acho muito injusto com os EUA", disse.

Embora Stoltenberg tenha anunciado em junho que os gastos de defesa na aliança mostraram um aumento em termos reais, apenas cinco países atingiram a diretriz da OTAN de 2% do Produto Interno Bruto (PIB): Grécia, Estônia, Polônia, EUA e o Reino Unido.

Os gastos de defesa da Alemanha permaneceram em 1,19% do PIB, praticamente inalterados em comparação com os dois anos anteriores. No entanto, a ministra alemã da Defesa, Ursula von der Leyen, disse no início de janeiro que Berlim elevará seu percentual para 1,22% do PIB.

Depois de conversar com Mattis, o secretário britânico da Defesa disse que ambos os países pressionarão os membros da OTAN a cumprirem com seus compromissos de defesa. "Falamos da nossa liderança conjunta na OTAN, incluindo a modernização da aliança e em como garantir que todos os membros cumpram com o compromisso de gastos de 2%", disse Fallon.