COBERTURA ESPECIAL - Nuclear - Geopolítica

30 de Outubro, 2019 - 13:00 ( Brasília )

Agência nuclear da ONU escolhe argentino Grossi como novo chefe


O conselho da agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu nesta terça-feira o argentino Rafael Grossi como seu novo chefe, que de imediato prometeu agir de forma independente e neutra em assuntos relacionados ao Irã.

Grossi, de 58 anos, sucedeu Yukiya Amano, que faleceu no exercício do cargo. Grossi teve uma disputa acirrada com o ex-braço direito de Amano e atual diretor-geral interino, o romeno Cornel Feruta, em várias rodadas de uma votação dos 35 países do Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), mas assumiu a dianteira na segunda-feira.

O argentino, que recebeu apoio precoce de pesos-pesados com o Brasil e os Estados Unidos, obteve os dois terços de votos exigidos nesta terça-feira, quando 24 nações o endossaram. Agora sua indicação será confirmada em outra reunião do conselho e uma reunião mais ampla com todos os países-membros, ambas meras formalidades.

“Farei meu trabalho, e acho que meu trabalho é cumprir o mandato de uma maneira que seja independente, que seja justa, que seja neutra”, disse Grossi aos repórteres após a votação ao ser indagado sobre o Irã, sem entrar em detalhes.

Diplomatas não acreditam em uma grande mudança de postura da AIEA sob o comando de Grossi no tocante aos seus temas mais destacados, como a supervisão do acordo de Teerã com grandes potências, que o Irã está violando passo a passo em reação às sanções econômicas prejudiciais dos EUA.

“O que acho que é importante é eu dar ao meus Estados-membros e à comunidade internacional a garantia de que sou absolutamente independente e impermeável à pressão”, disse Grossi, um veterano da diplomacia nuclear e atual embaixador da Argentina na AIEA.

O conselho da entidade quer que Grossi tome posse até 1o de janeiro, mas o novo diretor-geral disse que isso pode acontecer antes.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Brasil - EUA

Brasil - EUA

Última atualização 05 DEZ, 21:20

MAIS LIDAS

Nuclear