COBERTURA ESPECIAL - Nuclear - Geopolítica

11 de Janeiro, 2016 - 14:30 ( Brasília )

EUA planeja enviar mais armas à Coreia do Sul

Washington e Seul discutem transferência de armamentos estratégicos, como reação ao teste nuclear realizado pela Coreia do Norte. Notícia é divulgada um dia após bombardeiro americano sobrevoar Coreia do Sul.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul discutiram nesta segunda-feira (11/01) sobre o envio de mais armamentos estratégicos à península coreana, um dia após um bombardeiro americano B-52 ter sobrevoado a Coreia do Sul. A manobra foi uma resposta ao teste nuclear realizado semana passada pela Coreia do Norte. A informação sobre o encontro foi divulgada pelo Ministério da Defesa sul-coreano.

Na quarta-feira passada, a Coreia do Norte afirmou ter detonado uma bomba de hidrogênio , em seu quarto teste nuclear desde 2006, irritando a comunidade internacional, inclusive a China, seu principal aliado.

O Conselho de Segurança da ONU condenou o teste nuclear e disse estar preparando novas sanções ao país já isolado.

Especialistas internacionais disseram duvidar que o teste tenha sido mesmo de uma bomba H .

Numa demonstração de força e apoio a seu aliado na região, Washington enviou no domingo um B-52 – avião de guerra capaz de portar uma bomba nuclear – para sobrevoar a Coreia do Sul a partir de uma base na ilha de Guam.

O jornal Rodong Sinmun, veículo oficial do regime da Coreia do Norte, afirmou que os Estados Unidos estão levando a situação à beira de uma guerra.

A mídia da Coreia do Sul afirma que os EUA cogitam enviar bombardeiros B-52 , caças F-22, porta-aviões e submarinos nucleares para manobras militares na região.

Coreia do Norte diz ter detonado bomba H

(06/01) Coreia do Norte confirmou seu primeiro "teste bem sucedido" de uma bomba de hidrogênio, que é substancialmente mais potente do que a bomba de Hiroshima. Líderes internacionais condenam ato e Conselho de Segurança da ONU ameaça retaliar com medidas contra Pyongyang. EUA dizem que a análise inicial do suposto teste nuclear não é consistente com um teste de bomba de hidrogênio bem-sucedido.