05 de Dezembro, 2018 - 10:10 ( Brasília )

Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel” auxilia voo de Apoio Logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz


O Navio de Apoio Oceanográfico (NApOc) “Ary Rongel”, que realiza a vigésima quinta viagem aos mares austrais, sob o comando do Capitão de Mar e Guerra Antonio Braz de Souza, auxiliou o 2º vôo de apoio logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) e na visita de autoridades ao canteiro de obras da nova estação, no dia 27 de novembro, dando continuidade à XXXVII Operação Antártica (OPERANTAR).

O voo de apoio logístico à EACF foi realizado em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do emprego da aeronave Hércules C-130, onde as autoridades civis e militares embarcadas, foram transportadas até a Base Aérea Chilena “Presidente Eduardo Frei Montalva” e de lá seguiram de helicóptero para a EACF com o auxílio do Destacamento Aéreo Embarcado (DAE) do NApOc “Ary Rongel”, composto por duas aeronaves UH-13 (Esquilo bi-motor).

A comitiva, que fazia parte do 2º vôo de apoio, contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas, o Ministro da Defesa, General de Exército Joaquim Silva e Luna, o Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes; o Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira; juntamente com o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira.

A comitiva foi acompanhada pelo Secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), Contra-Almirante Sérgio Gago Guida. No momento, cerca de 200 operários chineses, da empresa China National Electronics Import & Export Corporation, trabalham na reconstrução da EACF, no mesmo local da estação anterior, na Ilha Rei George.

As modernas instalações, com 4,5 mil metros quadrados, poderão abrigar até 65 pessoas e terão 17 laboratórios para apoiar os pesquisadores do Programa Antártico Brasileiro (Proantar) que, há mais de três décadas, desenvolve pesquisas em áreas como meteorologia, oceanografia e biologia.

A nova estação materializa a expansão das atividades científicas, compatível com a dimensão estratégica da presença brasileira na Antártica. Esses são os instrumentos que credenciam o Brasil a continuar participando do Tratado da Antártica e das importantes decisões sobre o continente.


Aeronave UH-13 do 1 esquadrão de Helicópteros, realizando pouso no convoo do NApOC Ary Rongel

Tarefas do NApOc “Ary Rongel”

O “Gigante Vermelho” como é carinhosamente apelidado, desde a sua chegada ao Continente Antártico, vem realizando as seguintes tarefas: Reabastecimento da EACF com óleo, equipamentos e gêneros, apoio à projetos de ciência e de tecnologia, além da realização de sondagens e levantamentos oceanográficos desde o continente sul-americano até o Continente Antártico.

Para auxiliar no cumprimento da missão, o NApOc “Ary Rongel” conta com uma tripulação composta por 94 militares, dentre estes, o Destacamento Aéreo Embarcado (DAE), composto por duas aeronaves UH-13 e um Grupo de Mergulhadores.