19 de Julho, 2018 - 10:40 ( Brasília )

Navio Escola Brasil está pronto para partir


comandante Cleber Ribeiro

O Navio Escola Brasil está pronto para dar início a 32ª viagem de instrução de guardas marinha. No domingo (22), oficiais, praças e 208 guardas-marinhas, sendo 12 oficiais do corpo feminino da Marinha, as primeiras mulheres a concluírem o ciclo de quatro anos da Escola Naval, partem rumo a 15 portos de nove países.

Durante cinco meses, os embarcados participam da missão para aprender, na prática, os ensinamentos teóricos obtidos. A viagem também proporciona o aprimoramento da formação cultural dos futuros oficiais da Marinha, além de representar o país e a Força nos portos visitados, estreitando laços de amizade com as nações amigas.

Para a guarda-marinha Naraiane Feitosa, participar desta viagem, depois de quatro anos de curso “é uma emoção muito grande, pois é chegado o momento de colocar em prática o que aprendemos”, disse.

Na terça-feira (17), o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, a bordo da embarcação, presidiu cerimônia de despedida aos integrantes da 32ª Viagem de Instrução de Guarda-Marinha.

Dirigindo-se aos futuros oficiais, Silva e Luna aconselhou que aproveitem a viagem para ampliar os horizontes visuais, mentais e intelectuais e buscar entender as forças da natureza, da ação conjunta, da disciplina e da coesão.

Ele conclamou a tripulação a compartilhar com o mundo o que há de melhor do povo brasileiro: a solidariedade espontânea; a capacidade de conquistar e fazer amizades; o respeito ao próximo; a engenhosidade diante dos desafios; o compromisso com a paz; o anseio pela justiça; e, claro, a alegria e o orgulho de nascer livres em berço esplêndido.

“Certamente voltarão desta viagem diferentes daqueles que partiram. Por certo, voltarão mais amadurecidos, mais fortalecidos em sua fé e com seus valores afetivos, náuticos e patrióticos mais robustecidos”, enfatizou o ministro.

O comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, deu boas-vindas aos estrangeiros que também partem na missão e destacou que a presença das autoridades na cerimônia comprova a importância da viagem, como complemento ao aprendizado na Escola Naval.

Ele ressaltou que se trata de oportunidade para o “desenvolvimento do espírito marinheiro, descobrindo o prazer da rotina de bordo, compreendendo a necessidade do trabalho harmônico em equipe e do espírito de camaradagem”. Leal Ferreira solicitou aos guardas-marinhas que “não esqueçam de propagar a cultura e a cordialidade do nosso povo, bem como representarem a Marinha brasileira”.

Aprendizagem

Durante a viagem do navio-escola, serão ministradas aulas práticas de navegação, meteorologia, marinharia, operações navais, controle de avarias e administração naval. A missão representa importante fase de adaptação à vida de bordo.

Além dos guardas-marinha, a tripulação é composta por sete estrangeiros, de Angola, Líbano, Namíbia, Nigéria e Senegal, que cursaram a Escola Naval.  Somam-se a eles três oficiais do Quadro Complementar do Corpo da Armada (QC-CA), um oficial do Exército, um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), dois convidados da Marinha Mercante nacional, e três servidores civis da Marinha.

A viagem ainda conta com a presença de representantes da Argentina, Bolívia, Chile, Estados Unidos, França, México, Paraguai, Portugal e Reino Unido.

Com pouco mais de 450 pessoas a bordo, o navio escola deixa o cais da Base Naval do Rio de Janeiro, no domingo (22), e atraca nos portos das cidades de Natal, Belém e Fortaleza (Brasil), Las Palmas e Valência (Espanha), Toulon e Rouen (França), Pireu (Grécia), Gênova (Itália), Lisboa (Portugal), Londres (Inglaterra), Hamburgo (Alemanha),Baltimore e Miami (Estados Unidos) e Cartagena (Colômbia). A volta ao Brasil está prevista para o dia 16 de dezembro.

Fotos: sargento Manfrim/MD