14 de Março, 2017 - 10:00 ( Brasília )

Porta-aviões dos EUA se une a exercícios na Coreia do Sul; Norte ameaça ataques "impiedosos"


A Coreia do Norte alertou os Estados Unidos nesta terça-feira sobre ataques "impiedosos" se uma frota comandada pelo porta-aviões USS Carl Vinson, que está se juntando a forças sul-coreanas para exercícios militares, infringir a soberania ou dignidade do país.

A Coreia do Norte, que alarmou vizinhos com dois testes nucleares e uma séries de lançamentos de mísseis desde o ano passado, disse que a chegada da frota dos EUA faz parte de um "plano temerário" de atacar o país.

"Se eles infringirem a soberania e dignidade da RPDC mesmo que um pouco, as Forças Armadas irão lançar ataques impiedosos ultraprecisos por terra, ar, mar e submarinos", disse a agência oficial de notícias do regime de Pyongyang, a KCNA.

O nome oficial da Coreia do Norte é República Popular Democrática da Coreia.

"Apenas em 11 de março, muitas aeronaves do porta-aviões sobrevoaram uma rota perto de águas e do espaço aéreo territoriais da RPDC para realizar exercícios de lançamento de bombas e fazendo ataques de surpresa em alvos terrestres", disse a KCNA.

Um porta-voz da Marinha dos EUA disse que o Carl Vinson está em uma operação regular e agendada na região, durante a qual participará de exercícios com forças aliadas da Coreia do Sul.

Na semana passada, a Coreia do Norte disparou quatro mísseis balísticos no mar na direção do Japão em resposta aos exercícios militares anuais dos EUA com a Coreia do Sul, que o Norte diz ser uma preparação para guerra.

Estados Unidos vão enviar drones armados à Coreia do Norte¹

 

O Pentágono anunciou nessa segunda-feira (13) que vai enviar drones armados à Coreia do Norte. O envio dos chamados Gray Eagle MQ-1C foi anunciado poucos dias depois do início de exercícios militares conjuntos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, após a confirmação do governo norte-coreano da realização de testes bem-sucedidos com mísseis balísticos de longo alcance.

Os drones armados, entretanto, não serão direcionados somente à Coreia do Norte, liderada por Kim Jong-un. O porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Jeff Davis, afirmou que a utilização dos Gray Eagle MQ-1C faz parte de um plano estratégico global. “Não é só para a Coreia do Norte. Todas as divisões do Exército vão utilizar esses drones”, afirmou, em entrevista.

Ainda segundo o Pentágono, a Coreia do Sul vai receber uma equipe para operar os drones no início do ano que vem. 

As manobras militares conjuntas entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos são realizadas anualmente. No ano passado, cerca de 17 mil soldados dos norte-americanos participaram da iniciativa.

Atualmente, de acordo com o Pentágono, o Exército do país tem 28 mil soldados na missão da Coreia do Sul.

¹com Leandra Felipe - Correspondente da Agência Brasil

Leia também:

O front invisível dos EUA na Coreia do Norte [Link]


VEJA MAIS