COBERTURA ESPECIAL - Guerra Informação e Híbrida - Inteligência

20 de Outubro, 2017 - 19:20 ( Brasília )

DESINFORMAÇÃO: Novo Tipo de Guerra - Linha de Montagem de uma Notícia Falsa



DESINFORMAÇÃO: NOVO TIPO DE GUERRA.
LINHA DE MONTAGEM DE UMA NOTÍCIA FALSA.

 
 

Frederico Aranha – Pesquisador Independente
aranha.frederico@outlook.com
Advertência: tradução livre.

 
 Moscou encara os ‘affaires’ mundiais como um grande teatro de “operações especiais” e acredita, sinceramente, que é também assim visto pelo Ocidente. Estou certo que há um número grande de centros, alguns deles ligados ao Estado, que estão envolvidos, inventando este tipo de notícia fake.
      Gleb Pavlovski, Presidente da Fundação para Políticas Eficientes (1).

                    
                  
Um jornal eletrônico sírio independente – Deirezzor 24 – reportou que em 26 de agosto as Forças da Coalização (EEUU e aliados da NATO) haviam realizado uma operação terrestre a oeste de Deir ez Zor, para retirar a salvo em helicópteros dois comandantes do DAESH e suas famílias. O repórter classifica os dois comandantes do DAESH como espiões da Coalizão. Apesar da notícia não fornecer nenhuma evidência para garantir a veracidade do fato, foi imediatamente acolhida pelos meios de informação eletrônicos apoiados pelo Kremlin e retransmitida por inúmeras mídias periféricas.  À medida que a notícia se espalhou, o texto original alterou-se levemente para se adaptar à narrativa dos diferentes noticiários.
                 
Por exemplo:



Comparação entre a manchete do Deirezzor 24 e as do Global Research.ca, South Front e Veterans Today (direita, de cima para baixo).
                 
Ao mesmo tempo que a notícia se alastrou pelas plataformas da mídia periférica, uma suposta fonte anônima confidenciou à RIA Novosti, um jornal eletrônico russo estatal, confirmando o seguinte:
                 
Enquanto tropas do governo sírio cumpriam com sucesso ações no leste da Síria em agosto passado, um certo número de comandantes de campo do DAESH, protegidos por forças especiais americanas, foram rapidamente evacuados de Deir ez-Zor para regiões seguras de modo a aproveitar sua experiência.



 
O Sputnik News de imediato amplificou a notícia sem substância do Deirezzor 24.
              
No mesmo artigo, o Sputnik noticiou também outra operação que teria ocorrido dois dias depois, na qual helicópteros americanos – transferiram vinte comandantes do DAESH e militantes da sua confiança de uma área ao sul de Deir ez-Zor para o nordeste da Síria. Foi “confirmada” pela mesma fonte “militar e diplomática” anônima da história inicial do RIA Novosti. O Sputnik procurou confirmar as notícias junto ao setor de imprensa da Coalizão, que taxou as alegações de falsas.

O Sputnik publicou o artigo em sete de setembro; todavia, a notícia sobre a segunda evacuação foi publicada por primeiro em cinco de setembro pelo Inside Syria Media Center, noticiário eletrônico pró-Assad e pró-Rússia, que não citou fontes.  O noticiário acusava – em 28 de agosto, a aviação da coalização internacional deslocou vinte comandantes do ISIS, da vila de Abu Lail para uma base aérea militar no nordeste da Síria (3). A mesma notícia foi repetida num artigo no GlobalResearch.ca, intitulado Us Rescues ISIS Field Commanders in Syria. The Terrorists R US, no qual a única fonte citada foi o artigo do Deirezzor 24 que, como já foi dito, divulgou um incidente sem confirmação (4).

De qualquer modo, no mínimo dez mídias periféricas repercutiram a intervenção do Sputnik, com a fonte anônima “confirmando” as duas evacuações, incluindo The Free Thought ProjectThe Duran, e Al-MasdarNews. Esta última já havia sido objeto de investigação de @DFRLab anteriormente, em razão dos seus violentos ataques aos White Helmets, acusando-os de terem mentido em relação ao emprego pelo regime de gás sarin, o que motivou os bombardeios americanos de abril, e de ligações com a Al Qaeda. O proprietário do jornal eletrônico é Leith Abou Fadel, partidário de Assad com íntimas ligações com o regime. Serve como porta-voz não oficial do regime e ataca permanentemente os críticos do governo e as testemunhas de atrocidades do regime, notadamente as organizações humanitárias internacionais.



A ampliação da notícia através da mídia amiga periférica e dos sites financiados pelo Kremlin.
                      
Na verdade, o artigo publicado pelo Al-Masdar inclui duas fontes, desta vez identificadas, para corroborar a fonte “militar e diplomática” anônima. O autor sugere que o Presidente Trump deveria mandar investigar os incidentes revelados, os quais analistas russos garantem ser quase 100% verdadeiros.



              
Os analistas a que Al-Masdar se reporta são Igor Korotchenko, editor-chefe da Natsionalnaya Oborana (Defesa Nacional, Moscou) e Franz Klintsevich, primeiro vice-chefe do Comité de Defesa e Segurança da Câmara Alta da Rússia. Ambos foram entrevistados pelo Sputnik no artigo intitulado Trump must Comment (5), baseado na antiga e anônima fonte do artigo US Allegedly Rescuing Daesh Commanders from Deir ez-Zor. No artigo, Korotchenko sugere que o Presidente Trump está perdendo o controle como comandante-em-chefe das Forças Armadas americanas e o desafia a iniciar uma investigação:
               
É o Presidente Trump que deve comentar os incidentes e afirmar claramente: ou a evacuação dos comandantes de campo do DAESH foi autorizada por ele pessoalmente e ele assume toda a responsabilidade política, ou as Forças Especiais americanas agiram sem sua aprovação.
              
As histórias afirmando que o EEUU resgatou comandantes do DAESH foram compartilhadas mais de quatorze mil vezes, gerando milhares e milhares de clicks e comentários, sem qualquer evidência para comprová-las.
               
A difusão dessa notícia demonstra como uma network de mídias financiadas pelo Kremlin, alinhadas com mídias-amigas, podem plantar uma história sem base nas mídias periféricas. Isso demonstra o pouco ou nenhum respeito em divulgar notícias verdadeiras quando se trata de histórias antiamericanas.


MAPA DOS ACESSOS À NOTÍCIA FALSA.       
 
 
.
 Notas
 
(1) O cientista político russo Gleb Pavlovsky, autodenominado “Tecnólogo da Política”, é considerado um mestre da intriga política e dos complôs secretos. Nasceu em Odessa em 1951, e não pertencia à elite. Estudante dedicado era membro da oposição ao governo soviético.  Distribuía cópias clandestina do Arquipélago Gulag de Alexander Solzhenitsyn, livro totalmente proibido na União Soviética. Em 1982 foi preso. Fez acordo com as autoridades e suas confissões livraram-no de longo período na prisão. Foi exilado para a República Komi, noroeste do país, zona de gulags e, ao invés de trabalhos forçados, dedicou-se à construção e pintura de prédios. Vai para Moscou com o fim do regime. Criou o Russian Journal, o mais antigo website da Rússia e o site de assuntos sociais e políticos lenta.ru. Criou a Fundação que dirige até hoje. Teve carreira meteórica, assessorou Yeltsen e Putin. Caiu em desgraça com Putin em 2011, quando apoiou Mednedev. Deixou montada no Kremlin uma estrutura de alto escalão dedicada à informação e propaganda

(2) http://en.deirezzor24.net/

(3) https://en.insidesyriamc.com/2017/09/05/u-s-rescues-isis-field-commanders/

(4) https://www.globalresearch.ca/u-s-rescues-isis-field-commanders-in-syria-the-terrorists-r-us/5607626

(5) https://sputniknews.com/middleeast/201709081057204599-syria-deir-ez-zor-daesh-evacuation/
 

 Nota DefesNet

Recomendamos a leitura dos Texto de Discussão e Análise do Professor Sampaio Teoria da Mentira I e II

Teoria da Mentira I Link

Teoria da Mentira II 2011 Link

 

VEJA MAIS