COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Editorial

19 de Agosto, 2018 - 21:35 ( Brasília )

Editorial – Brasil - Derrota Assegurada



Editorial DefesaNet

Brasil - Derrota Assegurada

 
O Estado de Roraima é o laboratório de uma Guerra Híbrida permanente, por mais de quatro décadas, que agora abrange todo o Brasil

Como DefesaNet, quarenta anos?

Vejamos as ações que atingem o Estado de Roraima há 4 Décadas:


 - 1986 – 1992 -Formação da Terra indígena Ianomâni (quem não lembra o cantor inglês Sting e o cacique Raoni);

- 1993-2008 Reserva Indígena Raposa Serra do Sol

- Desde 2000 contínua desestabilização e infiltração a partir da Venezuela, com o estado Bolivariano de Hugo Chavez.


Mais as ações no Supremo Tribunal Federal (STF), com a definição da Reserva Contínua e a determinação da desintrusão, dos não indígenas, geraram a infame operação Uptakon III, da Polícia Federal (março 2008). O Brasil perdeu a Amazônia, nas salas acarpetadas com fofas poltronas, em Brasília.

Isto levou a inviabilidade do Estado de Roraima, com 46 % da área do de Roraima para Terra Indígena e mais 27% da área como Terra de Conservação.
E agora a tese do Triplo A (uma faixa dos Andes, Amazônia e Atlântico).

Chegou a um ponto que inviabilizou economicamente o Estado de Roraima, com o fim da pecuária e as plantações de arroz da região.

Após a descoberta das gigantescas reservas de petróleo na Bacia do Orinoco, que tornaram a Venezuela a detentora das maiores reservas mundiais, e a disputa pelo território de Esequibo (quase metade da área da Guiana), a região começa a ter uma geopolítica muito acirrada.

Hoje a situação da República Bolivariana de Venezuela é a seguinte

1 - Inflação de 1.000.000 %, segundo o FMI

2 - Na sexta-feira 17AGO2018, foi anunciada uma reforma econômica;

3 - Salário aumentou 34 vezes passou de 5,2 Milhões de Bolívares para 180 Milhões de Bolivares (cerca de U$D 28);

4 - Feriado Bancário na sexta e segunda-feira (20AGO2018);

5 - Comércio fechado, pois não sabe, qual o preço cobrar por bens e serviços;

6- Várias partes de Caracas sem energia, já há uma semana;

7 - Cidades da margem do Rio Orinoco atingidas por cheia enquanto a capital Caracas vários bairros sem água há vários meses, e por fim,

8 - Elevar a gasolina a preços internacionais.


Mas venderá gasolina com subsídio para quem tenha o "carnet de la patria". Documento do Partido, que serve como uma conta bancária  e registro para acesso a bens, comida, bonos em dinheiro e agora gasolina.

Os brasileiros não entenderam que o controle político na Venezuela Castrochavista é exercido pela “HAMBRE (Fome).

E temos de ler na imprensa brasileira dando manchete para Maduro exigindo segurança para os venezuelanos no Brasil. Que belo regime farsante (ver nota abaixo). 

Como prêmio pela assistência aos venezuelanos tivemos a internalização de doenças já erradicadas no Brasil, como o Sarampo, do qual mais de 1.600 casos confirmados e 5.000 sob suspeita. Além de 6 mortes confirmadas.

E que comprovadamente estão ocorrendo com venezuelanos  chavistas e agentes cubanos de inteligência infiltrados para ações no Brasil.

Porém, o que tem gerado enorme apreensão e DefesaNet alertou em janeiro com a matéria “Batalha de Porto Alegre - Acidente com cubanos sacode o continente”. Trata-se de um acidente automobilístico com refugiados cubanos a caminho do Uruguai. Acidente que levantou muitas suspeitas, porém nenhum esclarecimento.

O que as autoridades de inteligência esperam são “Ações Psicológicas” que ocorrerão no período eleitoral brasileiro, aproveitando os infiltrados, para a desestabilização e tentativa de influenciar o resultado das mesmas.

Como tudo indica, o caso do ataque ao comerciante, em Paracaima, pela desproporção da força, foi um ato de provocação planejado para gerar tumulto.

Um ponto importante é que o julgamento, em Janeiro, no TRF-4, a prisão de Luis Inácio Lula da Silva, no Sindicato de São Bernardo, a ação tentativa de liberar Lula via ação de infiltrados, no TRF-4, requereram especial ação da área de inteligência e Forças Especiais.

O Brasil tornou-se uma monumental Roraima, que há 4 décadas sofre com ações de propaganda e desestabilização, que agora classificamos como de Guerra Híbrida e agora é em todo o território nacional.

Dentro deste quadro a Escola Superior de Guerra (ESG) no seu   Cadernos de Estudos Estratégicos, de Julho 2018, publicou o artigo “NADA DE NOVO NO FRONT: O CONCEITO DE GUERRA HÍBRIDA”. (clique aqui para acessar Link)

Um pensamento arrogante que desconhece a Guerra Híbrida/Guerra Não-Linear. E cabe ao Gen Ex Eduardo Villas Boas, vir a público falar pelo Exército Brasileiro.

Por qual razão os cidadãos de Paracaima entoavam o canto que o Exército Brasileiro, a "Força de Caxias" “os tinha  traído”?

Não adianta o Exército Brasileiro colocar no comando da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, um dos mais competentes Generais da nova geração, General-de-Brigada Gustavo Henrique Dutra de Menezes.

Já temos os inimigos internos como o MPF, agindo para impedir um controle dos refugiados e procurando tornar sem rastreabilidade as ações de infiltrados
(ver Conselho de Direitos Humanos critica "acolhida humanitária militarizada" de venezuelanos em RR: `é preocupante´ Link)

A nossa derrota está assegurada com este pensamento e falta de ações estratégicas.



Comunicado República Bolivariana de Venezuela on Scribd
 




Matérias Relacionadas

Relatório Otálvora: os EUA veem a Venezuela como um problema de segurança hemisférica Link

Gen Ex Villas Boas - Defesa para quê? OESP Link

Batalha de Porto Alegre - Acidente com cubanos sacode o continente Janeiro 2018 Link

Instituição de Estado: flexibilidade e análise judiciosa em seu emprego Link

Conselho de Direitos Humanos critica "acolhida humanitária militarizada" de venezuelanos em RR: `é preocupante´ Link

Os reflexos da imigração Venezuelana: perfil dos imigrantes, Segurança Pública e Saúde Pública Dezembro 2017 Link




VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Base Industrial Defesa

Base Industrial Defesa

Última atualização 17 DEZ, 00:05

MAIS LIDAS

Guerra Hibrida Brasil