09 de Maio, 2017 - 14:00 ( Brasília )

Geopolítica

Ucrânia: uma guerra esquecida na Europa





Três anos se passaram desde a revolta nas regiões de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia. Desde então, o exército ucraniano (apoiado por diversas milícias nacionalistas) vem lutando contra rebeldes apoiados pela Rússia, nas chamadas República Popular de Donetsk e República Popular de Lugansk.

O conflito que, por suposição, deveria estar sob um cessar-fogo desde o acordo de fevereiro de 2015, ganhou força durante os primeiros meses de 2017, segundo os últimos relatórios. Apesar disso, a guerra se mantém majoritariamente estática, transformando a paisagem em algo que lembra a Primeira Guerra Mundial, com trincheiras e armas posicionadas ao longo da linha de contato.

Depois de três anos, a única guerra na Europa não parece estar chegando ao fim. A poderosa e belicosa Rússia, e os eventos que ocorrem na Síria e no Iraque, relegaram este conflito ao esquecimento, mesmo para os vizinhos europeus da Ucrânia. Enquanto isso, de acordo com o governo ucraniano, a guerra deixou cerca de 10 mil mortos e 30 mil feridos, além de 1.4 milhão de pessoas deslocadas internamente.
 

Dizendo Adeus

A esposa do soldado Vasily Petrovich chora ao lado do corpo do marido, enquanto os parentes de Vasily dizem adeus, no cemitério em Berestivets, uma pequena cidade a 200 quilômetros de Kiev, na Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Missa de Páscoa

Um padre do exército ucraniano celebra uma missa durante a Páscoa, perto da linha de frente de Piski, próxima ao aeroporto de Donetsk, na Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Descansando na linha de frente

Um miliciano do setor Pravi descansa na linha de frente em Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Checando posições

Um membro de uma unidade aérea do exército ucraniano confere as posições na linha de frente em Piski, perto do aeroporto de Donetsk, na Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Hospital destruído

Um soldado ucraniano avança para a sua posição dentro de um hospital destruído, em Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Lançador de granadas

Um soldado checheno, do exército ucraniano, mira um lançador de granadas automático na direção de rebeldes apoiados pelos russos, a partir de sua posição na linha de frente, em Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Raspando a cabeça

Um soldado ucraniano raspa a cabeça de seu colega perto da cidade de Novotroitsk, em Donbas Oblast, Ucrânia, em abril de 2017. Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Hospital danificado

Um soldado ucraniano caminha perto de um hospital danificado pela artilharia dos rebeldes apoiados pelos russos, em Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Atirando em rebeldes apoiados pela Rússia

Um miliciano do setor Pravi aponta sua arma para os rebeldes apoiados pelos russos na linha de frente, nos arredores de Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Arredores de Marynka

Um soldado do exército ucraniano desce uma escada para sair da sua posição de combate, numa escola nos arredores de Marynka, na Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Linha de frente de Avdiivka

Prédios danificados são vistos na linha de frente de Avdiivka, uma das áreas com mais atividade atualmente, perto de Donetsk, em abril de 2017. A maior fábrica de cocaína da Europa fica aqui, então Avdiivka tem sido uma linha de frente desde 2014. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Correndo para encontrar cobertura

Um soldado ucraniano corre em busca de cobertura, em meio a tiros dos rebeldes apoiados pelos russos, na linha de frente próxima a Novotroitsk, em Donbas Oblast, Ucrânia, em abril de 2017. Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Passando as armas

Um miliciano do setor Pravi ajuda um colega a segurar sua arma numa casa, na linha de frente em Marynka, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)

 

Soldados desconhecidos

Um cemitério para soldados ucranianos não identificados nos arredores de Dnipro, Ucrânia, em abril de 2017. (Foto: Manu Brabo/MeMo)



Nota DefesNet

Na Ucrânia as Forças Russas usaram toda a sua força na implementação de Guerra Híbrida.

DefesaNet publicou vária e importantes matéria sobre o assunto:

Guerra de Nova Geração na Ucrânia. Colapso da Capacidade de Resistência Prof Aranha DefesaNet 2015 Link

GUERRA HÍBRIDA, Nova via Violenta para a Tomada do Poder  Estudo do Gen Pinto Silva a partir das ações russas na Ucrânia aplicadas ao Brasil Link

Guerra Híbrida - É a guerra de Putin. Seria a guerra do Maduro? Seria a guerra do Evo Morales? Gen Pinto Silva 2015 Link


VEJA MAIS