10 de Outubro, 2016 - 15:10 ( Brasília )

Geopolítica

Coreia do Sul diz que está pronta para ataque preventivo contra Coreia do Norte


A Coreia do Sul está pronta para fazer um ataque preventivo contra a Coreia do Norte caso apareçam sinais de uso iminente de armas nucleares pelo país. A informação foi dada hoje (10) pelo representante do Ministério da Defesa da República da Coreia, Mun San Gun.

Segundo a agência Yonhap, que cita Mun San Gun, a Coreia do Sul “poderá realizar um ataque preventivo baseando-se no direito à autodefesa”.

O anúncio é feito no início das manobras navais conjuntas das marinhas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos - Invincible Spirit 2016 -, que ocorrem ao longo de toda a extensão da costa sul-coreana, no Mar Amarelo, Mar do Japão e perto da ilha de Jeju.

Participa dos exercícios o porta-aviões americano Ronald Reagan, que se encontra na Base Militar em Yokosuka, no Japão. O navio tem capacidade para transportar cerca de 80 aviões e 5,4 mil homens. O Ronald Reagan está acompanhado pelos destróiers Curtis Wilbur (DDG-54), John S. McCain (DDG-56), Fitzgerald (DDG-62), Stethem (DDG-63) Barry (DDG-52), sendo também possível a participação do bombardeiro estratégico stealth B-2, que será deslocado a partir da Base Aérea americana de Andersen, na ilha de Guam, no Pacífico. Espera-se que os exercícios conjuntos sirvam de alerta para a Coreia do Norte.

No dia 9 de setembro, apesar da proibição por parte do Conselho de Segurança, a Coreia do Norte fez seu quinto teste nuclear, considerado o maior da história do país, com potência equivalente a 10 toneladas de explosivo. Todos os três mísseis lançados caíram na zona econômica exclusiva do Japão, o que foi avaliado como uma ameaça direta para a segurança do país.

Seul e Washington iniciam manobras navais, entre grande tensão com Pyongyang¹

Coreia do Sul e Estados Unidos iniciaram nesta segunda-feira manobras navais em um momento de especial tensão na península coreana, perante a possibilidade de que o regime da Coreia do Norte realize estes dias em testes de armas para comemorar o aniversário de seu partido único.

Nestes exercícios, que se entendem como uma exibição de força perante Pyongyang e se realizam simultaneamente nos Mares do Leste e do Oeste (Mar Amarelo e Mar do Japão), participa o Ronald Reagan, porta-aviões americano de propulsão nuclear da classe Nimitz, detalhou o Exército sul-coreano em comunicado.

"O exercício 'Espírito invencível' pretende mostrar o compromisso dos aliados para responder às incansáveis provocações do Norte e melhorar sua interoperabilidade marítima", explicou o texto.

Além do Ronald Reagan, os aliados devem mobilizar dúzias de navios e submarinos que incluem destróieres da classe Ticonderoga, equipado com sistemas de mísseis de cruzeiro Aegis, além de aviões de vigilância marítima P-3 e P-8, helicópteros Apache e caças FA-18C.

O exercício pretende simular o ataque a comandos especiais norte-coreanos integrados por submarinos e aeronaves que estariam tentando se infiltrar em águas da Coreia do Sul.

¹com agênica EFE