COBERTURA ESPECIAL - Fogo-Fire-Feuer-Feu - Pensamento

20 de Outubro, 2019 - 12:50 ( Brasília )

Marcelo Tognozzi: Este petróleo não é nosso

Vazamento no Nordeste não mobilizou, Grupos não ajudam a buscar solução, MP se intrometeu e errou



Marcelo Tognozzi
Poder 360


As ONGs ecológicas tratam a contaminação do nosso litoral pelo petróleo vazado Deus sabe lá de onde como o caviar do samba de Zeca Pagodinho: “Nunca vi nem ouvi, eu só ouço falar”.

Eu chefiava a Assessoria Parlamentar do Ministério das Minas e Energia quando 1 acidente com 1 duto da Petrobras se rompeu e inundou de óleo a Baía da Guanabara, no dia 18 de janeiro de 2000. Foi uma gritaria geral. Ecologistas, parlamentares da oposição (PT, PC do B, Psol, PV) mais Marina Silva, Greenpeace, associações de pescadores, sindicatos –uma loucura, negociações intermináveis, cobranças da imprensa, protestos.
 
O óleo vazado em 2000 não deve chegar nem a 10% da contaminação que desembarcou no nosso litoral nos últimos dias. E por incrível que possa parecer, zero mobilização da tropa de ONGs. Tartarugas do Projeto Tamar, golfinhos, aves e peixes estão morrendo, num prejuízo incalculável para a fauna e flora marinhas.

Este vazamento tem potencial para ser mais devastador do que aquele ocorrido no Golfo do México numa plataforma da British Petroleum em 2010, porque é literalmente incontrolável: ninguém sabe de onde veio o óleo, qual o tamanho da mancha, quem são os responsáveis e como puni-los. Enquanto isso, as praias do Nordeste seguem sendo tingidas de negro.

As ONGs batem no ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mas são incapazes de dizer qual a solução para conter esta ameaça. O ministro não queria utilizar barreiras, porque considerou que elas seriam ineficientes. O Ministério Público obrigou que elas fossem colocadas e, no final, quem tinha razão era o ministro, porque de nada adiantaram.

O MP, que tudo sabe, tudo vê e em tudo se mete como se estivesse acima dos especialistas, dos governos e especialmente do eleitor, agora reconhece que este é nosso pior acidente com petróleo e dá ao governo 24 horas para por em prática 1 Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Água elaborado no governo Dilma. Isso existe?

Se existe, por que não funcionou quando estourou a barragem de Mariana? Naquela época, a ficha demorou a cair e a “presidenta” levou uma semana para se mexer enquanto o Rio Doce morria. E nunca é demais lembrar que Minas era governada pelo PT.
 
O Greenpeace tem sido muito eficiente quando ataca o agronegócio do Brasil, seja criticando a liberação de defensivos (ou agrotóxicos, como queiram) ganhadores de prêmios de química verde, seja impedindo navios brasileiros de descarregarem soja supostamente plantada e colhida em áreas desmatadas. Mas está sendo incapaz de ajudar a desvendar o mistério do óleo derramado na costa brasileira. Nem sequer apresentou a contabilidade de animais mortos e parece nem ter acionado seus informantes baseados nos principais portos do planeta.
 
Não é preciso ser 1 especialista em meio ambiente e ecologia para entender o tamanho do desastre, o tamanho do descaso, o tamanho da incompetência do Ibama e da arrogância do MP. O desastre, criminoso ou não, não para de produzir prejuízos e isso ainda vai longe. O descaso tem, claro, um viés ideológico. Por que os príncipes defensores da natureza vão ajudar este governo de ogros a resolver 1 problema que é de todos nós? Seria esperar demais. A incompetência do IBAMA não é generalizada, há gente preparada lotada ali, mas infelizmente este não é o padrão. Quanto à arrogância do MP, lembremos de Rodrigo Janot.
 
Não há ainda pistas concretas que possam levar aos responsáveis pelo desastre. Muitos dos que poderiam e deveriam colaborar para encontrá-las guardaram o entusiasmo no armário. Marina Silva não apareceu, nem o PV se apresentou, muito menos os franceses, dinamarqueses, suecos e alemães. Devem estar todos apagando incêndios na Amazônia. Ninguém sabe, ninguém viu. A única certeza é que, desta vez, o petróleo não é nosso.

 

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Crise

Crise

Última atualização 19 NOV, 12:15

MAIS LIDAS

Fogo-Fire-Feuer-Feu