COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Segurança

19 de Maio, 2014 - 10:30 ( Brasília )

Força Nacional reforça segurança em pelo menos oito localidades durante a Copa


A 27 dias da abertura da Copa do Mundo, o Ministério da Justiça informou que, em pelo menos oito localidades brasileiras, a Força Nacional de Segurança Pública ajudará as equipes policiais locais e federais. O objetivo é reforçar a segurança da população e de turistas. Do total, duas são cidades-sede – Natal e Cuiabá – e seis são pontos de rodovias considerados estratégicos. 

A pedido dos governos do Rio Grande do Norte e de Mato Grosso, equipes da força especial serão enviadas nos próximos dias as respectivas capitais, que estão entre as 12 cidades-sede da competição. Também sediarão jogos Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Além disso, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) solicitou à Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, o apoio da Força Nacional em seis pontos de rodovias federais que dão acesso às cidades-sede. De acordo com a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, os locais foram considerados estratégicos pela PRF, que já atuou conjuntamente com a Força Nacional em ocasiões como a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, em 2013.

Durante a formatura neste sábado, em frente ao Ministério da Justiça, em Brasília, dos últimos 600 homens e mulheres que foram capacitados para atuar no Mundial, a secretária confirmou que, pela primeira vez, guarda-vidas da Força Nacional vão reforçar a vigilância dos banhistas. Por enquanto, o reforço está confirmado apenas em Natal, mas Regina Miki garantiu que todos os estados que pedirem o auxílio de guarda-vidas serão atendidos.

"O governo do Rio Grande do Norte pediu que enviássemos 100 guarda-vidas e estamos atendendo. Temos absoluta certeza de que os turistas vão desfrutar de nossas praias e, por isso, enviaremos guarda-vidas para se somarem aos que já existem no estado para garantir (a segurança dos banhistas)", destacou a secretária.

Cedidos por diferentes forças policiais de vários estados, os 600 militares que integram a última turma a concluir o curso de instrução ministrado na base da Força Nacional, no Gama (DF), vão se integrar ao efetivo que atuará na Copa. O número total de agentes é mantido em sigilo pelo ministério. A secretária, contudo, garante que todo o pessoal estará preparado para apoiar as operações conjuntas.

"Temos um cadastro de 10,6 mil profissionais da segurança pública e os chamaremos conforme as necessidades. Posso garantir que temos condições de apoiar todos os estados, as polícias federais e, se for preciso, até mesmo a Forças Armadas", afirmou a secretária.

Durante a cerimônia, o diretor-geral da Força Nacional, coronel Alexandre Aragon, explicou que, ao passar pelo curso de instrução de nivelamento de conhecimento, os profissionais são informados dos protocolos operacionais da força e são preparados para lidar com distúrbios civis. Dirigindo-se aos militares, Aragon disse que eles são "a última linha de defesa da segurança pública". "Se vocês falharem, passa a ser questão de segurança nacional, com as Forças Armadas".

Criada há dez anos, a Força Nacional já participou de 146 operações especiais em todo o País. Atualmente, há 29 operações em curso, entre elas o apoio às polícias pernambucanas a fim de restabelecer a ordem após os saques registrados na região metropolitana de Recife, nos últimos dias. Ao longo de uma década, nove policias morreram em acidentes de trabalho ou operações.