COBERTURA ESPECIAL - Embraer - Tecnologia

23 de Fevereiro, 2017 - 09:50 ( Brasília )

Atech apresenta Sistema de Missão e Combate na IDEX 2017


O Sistema de Missão e Combate da Atech, empresa do Grupo Embraer, poderá ser visto na IDEX 2017, feira internacional da indústria de defesa que acontece de 19 a 23 de fevereiro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

A Atech traz todo seu conhecimento e expertise no desenvolvimento de sistemas embarcados em meios terrestres, aéreos e marítimos. A integração de sensores, armas e demais soluções de suporte na criação de uma consciência situacional mais efetiva transforma seu Sistema de Missão e Combate em uma poderosa ferramenta para a execução de variadas missões dentro das plataformas integradas de defesa do Grupo Embraer.

Sistemas Embarcados

Como parceira estratégica das Forças Armadas do Brasil, a Atech vem atuando em diversos projetos de sistemas embarcados e executando atividades de:

-Desenvolvimento e Integração de Sistemas Embarcados;
-Desenvolvimento e Integração de Sistemas de Suporte a Missão;
-Logística: manutenção, treinamento de operações, treinamento de manutenção e documentação.

Nesse sentido, a Atech destaca-se por sua presença no desenvolvimento do Sistema Tático de Missão Naval dos oito helicópteros adquiridos para a Marinha do Brasil, dentro do Programa H-XBR e no programa de Transferência de Tecnologia (offset) do Governo Brasileiro para o Programa P-3AM ORION, aeronave de Patrulha Marítima da Força Aérea Brasileira.

A empresa atua na modernização dos sistemas embarcados, na integração de novos sistemas à plataforma aérea e na capacitação de pessoal para manutenção dos sistemas da aeronave. A Atech, mais recentemente, conduz, em parceria com a FAB e a SAAB, as atividades de transferência de tecnologia e desenvolvimento dos sistemas de suporte e missão, treinamento e simulação do programa F-X2.

H-XBR

A Atech é responsável pelo desenvolvimento do Sistema Tático de Missão Naval (TDMS) que será utilizado nos helicópteros H225M da Marinha. O Programa, denominado H-XBR, iniciou-se em 2012, e a primeira unidade do H225M em versão operacional da Marinha está atualmente em fase de voos de testes.

O TDMS é composto por hardwares e softwares responsáveis pelo gerenciamento de informações transmitidas pelos diversos sensores instalados na aeronave e tem objetivo de auxiliar o operador tático e o piloto na tomada de decisões. Além disso, o TDMS faz a interface de comunicação com o sistema de armas do helicóptero.