COBERTURA ESPECIAL - Eleições - Pensamento

06 de Outubro, 2018 - 12:40 ( Brasília )

Comentário Gelio Fregapani - Anatomia das Fraudes eleitorais / Geopolítica e Petróleo / Geopolítica e Forças Armadas.


Anatomia das Fraudes eleitorais

Sem hipocrisia, sabemos que haverá fraude na apuração de votos, a menos que seja totalmente impossível aos que pretendem fazê-lo. Aliás, uma ligeira reflexão nos faz concluir que certamente aconteceram fraudes em todas as eleições, na maior parte das vezes para mais de um dos concorrentes. Quase sempre quem perde reclama de fraudes e quase sempre tem razão, embora possa não ter sido o único a fraudar, mas como o partido que está no governo tem mais facilidade para fraudar sempre sofrerá uma merecida suspeita.

As suspeitas de fraude e o inconformismo dos vencidos causam perturbações e até revoluções, veja-se a revolução de 1930, desencadeada por forte suspeita (ou certeza) de fraude e que mudou totalmente a política.

Acusações de fraudes não faltaram em todas as nossas eleições e quase todas verdadeiras, o que não significa que tenham sido decisivas para o resultado.  Não se sabe exatamente é em quantas e quais eleições as fraudes trouxeram a vitória, mas contra uma esmagadora maioria as chances são diminutas. Para exemplo tomemos a situação atual: tudo indica uma bem montada preparação para fraudarem em benefício do PT, quer pelos ministros nitidamente partidários quer pela vulnerabilidade das urnas eletrônicas ou pelo impedimento ao voto impresso ou pela dissonância das pesquisas com o que se observa nas ruas ou ainda por outros fatores como a tradição petista de vitória a qualquer custo e por qualquer meio.

Que há gente querendo fraudar é incontestável, pois já se viu que teve até gente tentando matar o oponente, no caso Bolsonaro. Que tentarão, isto é certo. Conseguirão eles levar as fraudes avante? – Depende de terem possibilidade, mas nesse jogo de inteligência tecnológica tem vantagem quem tiver a máquina na mão.

Havendo fraudes, serão elas suficientes para virar o jogo? – Pelas nossas expectativas NÃO, pois esperamos uma avalanche de votos por um Brasil marcado pelos tradicionais cristãos e seus familiares, mas quem viver verá.

Geopolítica e Petróleo

É muito difícil uma Nação manter-se autônoma sem dispor de abastecimento confiável de petróleo.

As últimas notícias informam da alta do petróleo para mais de 80 dólares por barril, o que representa lucros fabulosos para quem explorar o pré-sal.

Também tem sido veiculado que a alta dos preços deve se manter por causa das crises e bloqueios e pela diminuição da produtividade dos poços mais antigos.

É importante que isto permaneça na mente dos que pensam em vender esse presente de Deus.

Geopolítica e Forças Armadas.

Por maior que seja o desejo mundial de paz, é incontestável que vivemos num mundo em que as desavenças entre as nações são resolvidas frequentemente com o apelo ao recurso às armas. Os próprios acôrdos diplomáticos só tem valor quando houver interesse neles e possam ser sustentados pela força.

O poder militar de um país deve ser desenvolvido não só para se contrapor às ameaças militares, como também a apoiar a política externa e interna, incluindo os campos do desenvolvimento e da economia.

É exatamente nestes dois campos que a atuação das Forças Armadas, juntando-se com as demais forças vivas da nação, consegue um efeito sinergético muito além do sonhado inclusive no campo da segurança, simplesmente fazendo as encomendas das armas e equipamentos somente na indústria nacional, mesmo que não seja possível competir em preços.

Simples assim

Doce Ilusão

Ainda há quem acredite que o filho do pedreiro vai virar engenheiro como divulga o PT, sob o mesmo governo que fez o engenheiro virar motorista de Uber.

Que Deus abençoe a nova etapa, para a Pátria e para a família, que há de começar neste domingo

Gelio Fregapani


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 21 OUT, 12:30

MAIS LIDAS

Eleições

6
14 OUT, 01:00

Mensagens de um atentado