COBERTURA ESPECIAL - Eleições - Pensamento

12 de Setembro, 2018 - 13:00 ( Brasília )

Ciro Gomes - Gen Villas Boas seria demitido e Mourão é um "jumento de carga"

Ciro critica declaração de Villas-Boas e diz 'estaria demitido'. Candidato do PDT disse ainda que fala do Gen Villas Boas foi para 'calar a voz das cadelas no cio'

 

Bernardo Mello /
Fernanda Krakovics / Jeferson Ribeiro

Nota Links para as matérias referenciadas ao fim da página.


RIO - O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, afirmou nesta quarta-feira, durante sabatina promovida pelos jornais O GLOBO, Valor Econômico e a revista Época, que os militares não participarão de forma política de seu governo, caso seja eleito. Ele também criticou Jair Bolsonaro, do PSL, e seu vice, o General Mourão, a quem chamou de 'jumento de carga'.

Segundo Ciro, seu projeto de país "não existe sem Forças Armadas fortes", mas evocou a Constituição para criticar, de forma dura, a intromissão de líderes militares da ativa na vida política nacional:

- Sob ordem da Constituição, eu mando e eles obedecem. Quero as Forças Armadas modernas, poderosas, mas militar não fala em política no meu governo - afirmou.

Ao falar sobre declarações do general Villas Boas, comandante do Exército, que questionou a legitimidade do futuro governo, Ciro disse que o militar sofreria consequências caso o pedetista fosse presidente:

- Estaria demitido e provavelmente pegaria uma "cana".

- Mas deixa eu explicar, ele está fazendo isso para tentar calar a voz das "cadelas no cio" que embaixo dele estão se animando com essa barulheira. Esse lado fascista da sociedade brasileira - afirmou Ciro, subindo o tom das críticas também ao vice na chapa de Jair Bolsonaro:

- Esse general Mourão, que é um jumento de carga, tem uma entrada no Exército e agora se considera tutor da nação. Os brasileiros têm que deixar muito claro que quem manda no país é o povo - disse Ciro, que também criticou os filhos de Bolsonaro:

- Estranhíssimos.

O candidato do PDT seguiu um discurso já adotado por Geraldo Alckmin (PSDB) de que os seis primeiros meses de governo são fundamentais para implementar medidas significativas.

- Todos os presidentes se elegeram com minoria no Congresso e tiveram poderes imperiais nos seis primeiros meses. Portanto, o tempo da reforma são os seis primeiros meses. Manter a energia política viva, chamar empresários, trabalhadores, não quebrar contratos, achar o consenso - enumerou Ciro.

 

____________________



Matérias Relacionadas
 

Gen Ex Villas Bôas - Legitimidade de novo governo pode até ser questionada OESP Link

Villas Bôas afirma que atentado a Bolsonaro ‘materializa’ temor de que intolerância afete governabilidade

_________________


Na manhã de Domingo (09SET2018) a Comissão Executiva Nacional do PT divulgou uma nota:
Nota do PT: Repúdio à Tutela Militar Sobre a Democracia Link

  ____________________
 

Vilas Boas - "Brasil está ‘à deriva’ e sem projeto para o futuro" Entrevista ao Historiador Marco Villa para Rádi Jovem Pan  Link

____________________
 

Gen Ex Mourão - Não me vejo nesse papel de 'eu sou o terror'  Entrevista à Foha São Paulo e vídeo sabatina Banco BTYG Pactual Link



Outras coberturas especiais


Russia Docs

Russia Docs

Última atualização 23 SET, 12:55

MAIS LIDAS

Eleições