COBERTURA ESPECIAL - Eleições - Defesa

11 de Julho, 2018 - 21:20 ( Brasília )

Villas Bôas - Detalha contatos com Pré-candidatos à Presidência



Equipe DefesaNet
Edição e Transcrição


O General-de-Exército Eduardo Villas Bôas, na 17 edição de "O Comandante Responde", manda um recado para a Força e também classe política, detalhando a pauta de discussões de suas reuniões com pré-candidatos à eleição presidencial.

Os pré-candidatos à presidência recebidos para conversas, pelo Gen Ex Villas Bôas, tanto em Brasília como em São Paulo, foram os seguintes:

- Dep. Federal Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ);
- Senador Álvaro Dias (Podemos/PR);
- Governador Geraldo Alckmin (PSDB/SP);  
- Sra Marina Silva (Rede/AC)
- Fernando Haddad (PT/SP), e,
- Ciro Gomes (PDT/CE).


 

Fotoso das reuniões com os cnadidatos Alckmin, Bolsonaro, Ciro Gomes e Maria Silva Fotos @Gen_VillasBoas Montagem DefesaNet


DefesaNet transcreve a 17 edição de “O Comandante Responde”, de 05 Julho 2018, na íntegra.
   
Eliane Cajazeira – Centro de Comunicação do Exército: General, vamos começar o nosso programa assistindo a um vídeo em que um militar da reserva fez uma pergunta.

Coronel Decarle – Reserva remunerada e residente em Brasília:Nós da Reserva acompanhamos a sua atividade pela imprensa, pelas mídias sociais e pelo Portal do Exército. Observamos que o senhor tem tido encontros com os pré-candidatos à presidência. O senhor poderia me dizer quais os temas mais importantes abordados nessas oportunidades?

Gen Ex Villas Bôas - Satisfação em rever o Decarle, meu ex-cadete. Essa questão de nós termos solicitado e gentilmente terem atendido aos nossos convites os pré-candidatos à presidência da república. Primeiro aspecto fundamental à considerar é que nós somos uma instituição de Estado, portanto essa abordagem, esse relacionamento com os candidatos não tem nenhum caráter político partidário
.
Pelo contrário.

E nós não pretendemos absolutamente fazer uma sabatina com os candidatos, porque realmente não nos cabe. Abordamos questões relativas ao Estado Brasileiro, principalmente ao que diz respeito à Defesa e os aspectos relativos às Forças Armadas, em especial o Exército. Então fundamentalmente foram três abordagens.

A primeirarelativa a uma recuperação no sentido de projeto para o nosso país e uma definição dos rumos e do papel que nós queremos que nosso país desempenhe no contexto regional e no contexto mundial. A base para isso, que nós temos sugerido aos candidatos, é a geopolítica do nosso país.

Temos que considerar a nossa dimensão, a nossa posição na América do Sul, o papel que nos cabe desempenhar de liderança sul-americana. Temos um passivo geo-histórico relativo à Amazônia, nós temos que nos preocupar com ela. Temos fronteiras com mais de uma dezena de países e temos que pensar na nossa projeção para o Pacífico, projeção para a África.

Como vamos nos relacionar com as grandes potências? E isso tudo sob o enfoque da Defesa.

O segundo aspecto,que nós sempre abordamos, é de mostrar que nós somos um país em que não há percepção de ameaças: nem à soberania, nem à integridade nacional. Então defesa é um tema que costuma não ter apelo, principalmente o apelo eleitoral. Costumo a dizer que defesa não dá voto. Por isso é importante que os nossos futuros mandatários tenham a compreensão das funções que a defesa tem para um país.

E o terceiro aspecto, e muito importante, na conjuntura que estamos vivendo, é o da segurança pública. Que pelos índices altíssimos que aingem a criminalidade e a maneira de como isso vem afetando a população. E concorre para isso dois aspectos correlacionados que é o do narcotráfico, ou da droga, e de como ela está afetando a população e o outro aspecto, é o das organizações criminosas, algo muito preocupante, pois elas estão crescendo e aumentando a sua capacidade de contaminar até mesmo órgãos de Estado.

(Quarto Aspecto?) Aproveitamos tambémpara abordar com os pré-candidatos as questões que nos afetam tanto institucionalmente ao Exército quanto aos militares em si.

Ou seja, as questões relativas ao orçamento, a previsão orçamentária para os próximos anos, e também a questão da remuneração e a questão da previdência. São temas que estarão em pauta proximamente. (Ver Nota DefesaNet abaixo)

Eliane Cajazeira – CComSEx: Então foram boas conversas

Gen Ex Villas Bôas - Foram ótimas conversas em que esperamos que o resultado seja positivo. Temos uma expectativa de ver, pela primeira vez, porque nunca ocorreu, essas questões relativas a Defesa e Segurança constarem na pauta das discussões e dos programas de debate entre os candidatos.
 
Nota DefesaNet

Abaixo slide da apresentação do Ministro da Defesa Silva e Luna na Comissão de Relações Externas e Defesa Nacional da Câmara Federal, em 04 Julho 2018.

Observar a primeira lâmina com o índice comparativo no posto de Coronel nas PMs e Forças Armadas Brasileiras. O ranking coloca a remuneração de um Coronel das Forças Armadas em 20º lugar, sendo superior somente ao de 8 corporações.

    


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Dossiê EMBRAER

Dossiê EMBRAER

Última atualização 21 SET, 16:21

MAIS LIDAS

Eleições