07 de Outubro, 2015 - 13:00 ( Brasília )

Editorial

Editorial DefesaNet - O Ministro que poderia ser Ministro




Editorial DefesaNet
O Ministro que poderia ser Ministro
07 Outubro 2015

 
A breve passagem do Sr Jaques Wagner como ministro da Defesa, exatos 10 meses, entre indicação e nomeação para outro posto na Administração Federal deixou percepções variadas.

Sobre a sua pessoa pairavam muitas dúvidas, quase certeza da má escolha.

Porém, coube ao próprio Sr Jaques Wagner, mesmo que, em muitos momentos travestido de Conselheiro Político Presidencial, antes de  ser ministro da Defesa, reverter esta impressão.

Foi épica a sua primeira visita a um Projeto Estratégico de Defesa Brasileiro, que coube à Marinha do Brasil, exatamente no Complexo Industrial de Itaguaí (RJ), do Programa de Obtenção de Submarino (PROSUB). O seu background de indústria tornou fácil o entendimento, ao neófito Wagner, a complexidade e a magnitude do empreendimento, que rompe etapas e aproxima conquistas tecnológicas.

Deixou ao Almirantado a esperança de ter um defensor do PROSUB, na Administração Federal e fóruns internacionais.

Este mesma posição passou em visitas no exterior, quando valorizou e soube quantificar as conquistas tecnológicas, aos seus interlocutores, dos inúmeros programas em curso.

E enfrentou dignamente vários Boards, mais do que em pé de guerra, oferecendo publicamente as desculpas pelo governo brasileiro aos atrasos no fluxo financeiro de inúmeros, se não com todos, os parceiros estrangeiros.

Mesmo preso a compromissos políticos regionais, na formação de seu staff ministerial, que o fizeram em momentos perder o foco.

Sua última missão como Ministro da Defesa foi a visita ao Complexo Militar de Santa Maria (RS). O maior e mais potente Grupamento Militar abaixo do Rio Grande (Fronteira México - Estados Unidos).

Com atenção em algumas horas inteirou-se da complexidade de criar, manter e operar a Arma Blindada no Século XXI. Entre inúmeros briefings e visivelmente interessado, o tilintar do telefone com impacientes chamadas de Brasília, para que voltasse urgente, porém  respondidas com sinal de que só iria após cumprir o intenso programa.

Agora, transformado em uma Amélia, para realizar operações limpeza, dos desatinos de outros, tem sua carreira ascendente abatida por interesses desses mesmos, Exatamente, os que sentiram que sua aeronave começava rolar pela pista para a decolagem.

Ficou a certeza para quem o acompanhou, além das manchetes, de que Jaques Wagner era o Ministro que poderia ser o Ministro da Defesa
.