COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - SOF

07 de Janeiro, 2020 - 10:00 ( Brasília )

General Roberto de Pessôa - Primeiro paraquedista militar do Brasil morre aos 100 anos


GENERAL ROBERTO DE PESSÔA 1910 - 2010

O primeiro paraquedista militar do Brasil, general Roberto de Pessôa, morreu na madrugada de ontem no Rio, onde morava. Tinha 100 anos e um orgulho: o de ter inspirado a criação da mais poderosa força especial do Exército Brasileiro, a Brigada de Infantaria Paraquedista.

A ligação do general Pessôa com a tropa aerotransportada teve início na Alemanha, em 1936, sob o regime nazista. O oficial brasileiro, então com 26 anos, era tenente especializado em educação física e fora enviado a Berlim para aprender, e depois adaptar às condições do Brasil, as avançadas técnicas de treinamento militar praticadas pela Wermach, o conjunto das forças terrestres alemãs.

Visitando um centro de instrução nos Alpes, o tenente Roberto de Pessôa acompanhou "com fascínio e entusiasmo", como escreveu no regresso ao Rio, o adestramento dos batalhões de elite do exército alemão. "A possibilidade de levar a tropa pelo ar e lançá-la diretamente sobre o teatro de operações representa um notável fator multiplicador da capacidade", disse em seu relatório.

Estavam em andamento os Jogos Olímpicos de Berlim. Pessôa tentou inscrever-se no curso de paraquedistas do III Reich. Embora tenha sido aprovado na série de testes de aptidão física, foi vetado - a administração nazista já concentrava recursos na formação dos seus próprios combatentes. Conseguiu, entretanto, o registro na Escola de Planadorismo. Pela proximidade, acompanhou boa parte do ciclo dos paraquedistas. Prolongando sua estada na Alemanha, passou pela rigorosa Academia de Esportes do III Reich. As disciplinas aprendidas e trazidas por ele para o Brasil ainda são empregadas no Exército.