COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Aviação

22 de Dezembro, 2017 - 09:30 ( Brasília )

50 anos do Boeing 737


Boeing preenche lacuna

Na década de 1960, as viagens aéreas entraram na moda. Tanto nos EUA como na Europa, o mercado de trajetos de média distância cresceu rapidamente. Naquela época, Lufthansa e United Airlines ainda não haviam comprado modelos de médio alcance – e isso foi uma oportunidade para a Boeing. A foto mostra um dos primeiros modelos 737, durante sua fabricação em Seattle, EUA.

 

Lufthansa foi primeira cliente do modelo

O voo inaugural do Boeing 737 foi realizado em 9 de abril de 1967. Nesse mesmo ano, a Lufthansa se transformou na primeira cliente do modelo. Com a aeronave, a companhia aérea alemã podia transportar cerca de 100 passageiros e voar até 3.400 quilômetros. A empresa usa o 737 especialmente em suas rotas europeias.

 

Sob a sombra do Outono Alemão

Também faz parte da história da Boeing: em 1977, um modelo 737 batizado de "Landshut" foi sequestrado por quatro terroristas palestinos, que mataram o comandante. Mais tarde forças especiais alemãs libertaram os 86 passageiros e restante da tripulação. Depois do incidente, o avião continuou transportando passageiros da Lufthansa até ser vendido pela empresa em 1985, só sendo aposentado em 2008.

 

Cockpit analógico

As aeronaves estão em constante evolução. Enquanto os primeiros pilotos e pilotas da Lufthansa ainda se sentavam atrás de instrumentos analógicos, a fabricante americana de aviões desenvolveu a tecnologia empregada no modelo de forma gradual. No início da década de 1980, pela primeira vez a Boeing alterou o 737 em grande escala, e a cabine de pilotos recebeu telas.

 

Menos espaço para as pernas

O Boeing 737 mudou do ponto de vista dos passageiros: uma iluminação mais suave, bagageiros maiores e melhor ventilação tornaram as viagens aéreas mais agradáveis. No entanto, os passageiros da classe econômica passaram a ter menos espaço para as pernas, com a redução da distância entre os assentos.

 

Consumo de combustível deve ser baixo

Atualmente não são apenas os passageiros que devem caber em maior número dentro do avião. O consumo de combustível também deve ser baixo. Dada a baixa altura da aeronave, os motores do 737 foram concebidos pela Boeing com um achatamento na sua parte inferior, e se diferenciam do aspecto redondo das turbinas de outros modelos.

 

Popular entre as empresas de baixo custo

Com um total de 13.824 encomendas (até fevereiro de 2017), o 737 é atualmente o avião de passageiros mais vendido na história da aviação. Particularmente as companhias aéreas de baixo custo, cujas frotas muitas vezes consistem de só um modelo de aeronave, compram dezenas de unidades de uma só vez.

 

Concorrente de peso

O Airbus A320 foi lançado no mercado no final da década de 1980, e também se tornou sucesso de vendas. No período de 30 anos, o modelo da fabricante europeia, com 13.061 encomendas (até fevereiro de 2017), não fica tão longe do recorde do Boeing 737.

 

Renascimento aos 50 anos de idade

 

Após a Airbus anunciar a remodelação da família A320, a Boeing reformulou também o 737. O modelo 737 MAX transportará mais passageiros e consumirá menos combustível, e as primeiras aeronaves serão entregues em 2017, pontualmente para o 50º aniversário da aeronave.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


PROSUB S40

PROSUB S40

Última atualização 14 DEZ, 12:45

MAIS LIDAS

Ecos - Guerras, Conflitos, Ações

2