COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Geopolítica

04 de Janeiro, 2019 - 11:00 ( Brasília )

Ataque cibernético atinge centenas de políticos alemães

Documentos de partidos e detalhes pessoais de políticos e artistas são roubados e divulgados na internet. Ataque afeta todas as legendas presentes no Parlamento, exceto os populistas de direita.

Documentos internos de partidos e detalhes pessoais de centenas de políticos alemães foram publicados no Twitter, divulgou a emissora pública RBB nesta sexta-feira (04/01). O ataque cibernético atingiu todas as legendas representadas no Parlamento, exceto a legenda populista Alternativa para a Alemanha (AfD).

Foram vazados dados confidenciais de celulares, conversações privadas, endereços de políticos e outros dados particulares, assim como documentos internos de partidos. As legendas atingidas são União Democrata Cristã (CDU), Partido Social-Democrata (SPD), União Social Cristã (CSU), Partido Verde, A Esquerda e o Partido Liberal Democrático (FDP).

O vazamento de documentos foi descoberto na quinta-feira, segundo a emissora alemã. No entanto, aparentemente, os documentos foram publicados em dezembro por meio de uma conta no Twitter baseada em Hamburgo – os dados foram vazados como num calendário do Advento, com informações novas a cada dia.

A maioria das informações vazadas consistia de detalhes de contato, como endereços e números de telefone celular. No entanto, em certos casos, também foram vazados documentos pessoais, incluindo detalhes bancários e financeiros, cartões de identificação e conversas privadas.

Nenhum dos documentos partidários continha informações altamente secretas. Os dados incluíam pedidos de emprego, memorandos partidários e listas de membros do partido.

Alguns documentos tinham mais de um ano. O ataque aparenta ter sido de forma arbitrária, pois nenhum padrão discernível pôde ser detectado, embora nenhum partidário da AfD tenha sido vítima.

Políticos estaduais e alguns artistas também foram afetados. Não está claro quem foi responsável pelo ataque cibernético e com qual intenção os dados foram colocados na internet.

A conta no Twitter usada para os vazamentos tem em sua descrição os termos "pesquisa de segurança", "artistas", "sátira" e "ironia". Desde meados de 2017, dados privados de pessoas mais ou menos proeminentes são publicados na conta – supostamente com mais de 16 mil seguidores.

A conta pertence a uma plataforma de internet, e o operador está sediado em Hamburgo.