COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Inteligência

14 de Março, 2018 - 12:00 ( Brasília )

Rússia alerta Reino Unido contra resposta com ciberataque por envenenamento de ex-espião


A embaixada da Rússia em Londres disse nesta terça-feira que está seriamente preocupada com relatos de que o Reino Unido poderia lançar um ciberataque contra a Rússia, e fez um apelo ao governo britânico para que considere cuidadosamente as consequências de tal ação.

“Não apenas a Rússia é acusada provocativamente e sem fundamento pelo incidente em Salisbury, mas, aparentemente, planos estão sendo desenvolvidos no Reino Unido para atacar a Rússia com armas cibernéticas”, disse a embaixada russa em Londres.

“Declarações de uma série de parlamentares e de especialistas sobre um possível ‘destacamento’ de ‘capacidades cibernéticas’ causam séria preocupação”, acrescentou. “Convidamos o lado britânico a mais uma vez considerar as consequências de uma medida tão inconsequente.”

Rússia diz a Londres que ameaças de sanções por envenenamento de espião não ficarão sem resposta

Autoridades montam tenda forense em local onde o ex-agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes em Salisbury, no Reino Unido 08/03/2018 REUTERS/Peter Nicholls

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia disse nesta terça-feira que as ameaças do Reino Unido de impor sanções punitivas contra Moscou devido ao envenenamento de um ex-espião russo não ficarão sem respostas e disse que alegações falsas sobre o envolvimento do país no caso são uma provocação.

O Reino Unido deu ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, até a meia-noite desta terça-feira para explicar como um agente nervoso desenvolvido pela União Soviética foi usado para envenenar um ex-agente duplo russo que passou segredos para a inteligência britânica.

A Rússia disse não ter nenhuma ligação com o ataque e afirmou que irá ignorar o ultimato britânico até que Londres entregue amostras do agente nervoso utilizado e comece a cumprir suas obrigações de acordo com a Convenção de Armas Químicas, que prevê investigações em conjunto em casos deste tipo.

“Quaisquer ameaças para impor ‘sanções’ contra a Rússia não ficarão sem respostas”, disse o Ministério de Relações Exteriores em comunicado. “O lado britânico deve entender isso.”

Reino Unido vai investigar alegações de envolvimento da Rússia em 14 mortes no país

Ministra do Interior britânica, Amber Rudd, em Salisbury, no Reino Unido 09/03/2018 REUTERS/Peter Nicholls

A ministra do Interior britânica, Amber Rudd, disse que a polícia e os serviços de segurança do país irão investigar alegações de envolvimento do Estado russo em diversas mortes no Reino Unido nos últimos anos, mostrou carta publicada nesta terça-feira.

Na semana passada, o presidente da Comissão de Assuntos Internos do Parlamento escreveu à ministra pedindo pela revisão de 14 mortes que, originalmente, não haviam sido tratadas como suspeitas pela polícia, mas que foram repetidamente ligadas à Rússia em reportagens da mídia.

“Vou querer me certificar de que as alegações não são nada mais do que isso”, disse Amber Rudd em resposta publicada nesta terça-feira. “A polícia e o (serviço de inteligência do Reino Unido) MI5 concordam e irão auxiliar nesse empenho”.



Outras coberturas especiais


PROSUPER

PROSUPER

Última atualização 18 JUN, 03:00

MAIS LIDAS

Cyberwar