COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Geopolítica

29 de Março, 2017 - 11:30 ( Brasília )

Ataque em Londres foi alerta para firmas de tecnologia colocarem casa em ordem, diz polícia


O ataque que deixou quatro mortos em Londres foi um "alerta" para as empresas de tecnologia colocarem a casa em ordem a fim de evitar a circulação de contéudo extremista na internet, disse nesta quarta-feira o comissário interino da Polícia Metropolitana de Londres.

Os comentários feitos por Craig Mackey surgem após pedidos de políticos para que empresas de tecnologia, sediadas principalmente os Estados Unidos, cooperem mais com as autoridades.

"Eu acho que esse tipo de incidente e os outros que vimos na Europa são provavelmente um alerta para a indústria em termos de tentar entender o que significa colocar a sua própria casa em ordem", disse Mackey à assembleia do Comitê de Policiamento e Crime de Londres.

O governo britânico e uma série de marcas conhecidas no país, como a Marks and Spencer, já suspenderam os anúncios digitais na Alphabet, dona do Google, antes mesmo do ataque de Londres, porque os anúncios estavam sendo exibidos junto com vídeos contendo mensagens homofóbicas e antissemitas na plataforma do Youtube.

Desde então, Verizon Communications e AT&T seguiram o mesmo caminho. A ação levou o Google a se desculpar publicamente e a revisar as práticas de publicidade.

A polícia de Londres já tem uma unidade especializada destinada a remover material extremista do ar, mas Mackey afirmou que a "internet nunca foi desenvolvida para ser policiada dessa forma".

Autoridades britânicas também exigiram que as empresas de tecnologia façam mais para permitir que a polícia tenha acesso a comunicações de smartphones, após relatos de que Khalid Masood teria usado mensagens criptografadas via WhatsApp antes de avançar com o carro alugado sobre pedestres na ponte de Westminster e esfaquear um policial na área do parlamento.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Front Interno

Front Interno

Última atualização 29 ABR, 13:20

MAIS LIDAS

Cyberwar