COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Inteligência

15 de Março, 2017 - 12:00 ( Brasília )

Facebook impede empresas de usar seus dados para vigilância

Nova política de privacidade proíbe companhias de rastrear pessoas a partir de informações disponíveis na rede social

Uma nova política de privacidade adotada pelo Facebook impede empresas de usar informações divulgadas na rede social para fins de vigilância.

A medida, também válida para o Instagram, interrompe o trabalho de desenvolvedores que criam ferramentas usando informações postadas nos sites para rastrear e monitorar usuários. Segundo o diretor de privacidade do Facebook, Rob Sherman, as companhias não podem "usar dados obtidos de nós para fornecer ferramentas que sejam usadas para vigilância".

A norma foi criada após o Facebook descobrir que várias empresas usam suas informações publicamente disponíveis de forma "indesejada" para rastrear seus bilhões de usuários.

— Nos últimos meses, executamos medidas contra desenvolvedores que criaram e comercializaram ferramentas destinadas à vigilância, que são uma violação de nossas políticas existentes — disse Sherman.

Com as mudanças, as empresas não serão mais capazes de fazer ferramentas que rastreiam protestos, reúnam nomes ou realizem outras atividades de monitoramento no Facebook e Instagram. A atualização ocorre depois de discussões com uma série de organizações de dreitos civis manifestarem sua preocupação com a privacidade na rede social.

— Agora, mais do que nunca, queremos ter certeza de que ninguém usará estas plataformas para mirar contra ativistas — revela Nicole Ozer, diretora de tecnologia e liberdades civis da União Americana pelas Liberdades Civis da Califórnia.

Embora as mudanças sejam bem-vindas, algumas pessoas consideram que mais salvaguardas são necessárias.

— Nós aplaudimos este primeiro passo do Facebook — disse Malkia Cyril, diretora executiva do Centro para Justiça na Mídia. — Quando as empresas de tecnologia permitem que suas plataformas e dispositivos sejam usados para conduzir a vigilância em massa de ativistas e outras comunidades visadas, isso leva à discordância democrática. Mas ainda há mais o que fazer para proteger comunidades de espionagem, censura e assédio.

O Facebook tem 3,5 bilhões de usuários no mundo, sendo que 1,9 bilhão acessam o site ao menos uma vez por mês, enquanto 1,2 bilhão fazem login diariamente.

Facebook desmente "boato"

Desde a semana passada, circula na rede social uma mensagem alertando que, em breve, os dados de todos os usuários seriam divulgados:

"É amanhã... a partir de amanhã as suas publicações, fotos ou até mesmo mensagens que você excluiu serão publicas para todo mundo. Basta colar isso no seu mural, se você não autoriza o faceboook a postar sua privacidade (copie e cole no seu mural não pode compartilhar). Eu não autorizo o facebook a tirar minha privacidade"

Em nota, o Facebook desmentiu o boato:

"A segurança e privacidade das pessoas são as nossas maiores responsabilidades e estão no centro de tudo que fazemos no Facebook. Temos políticas de dados e privacidade claras que dizem que tudo o que uma pessoa publica no Facebook é de propriedade dela e só ela é quem pode determinar os níveis de privacidade de suas publicações e informações na plataforma".


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Pacífico

Pacífico

Última atualização 23 AGO, 10:25

MAIS LIDAS

Cyberwar