COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Inteligência

17 de Novembro, 2015 - 10:55 ( Brasília )

Paris - Terroristas usaram Playstation para se comunicar

Grupo terrorista pode ter usado o PS4 para planejar os atentados em Paris



Fonte Tecmundo


O mundo ainda se recupera dos ataques que mataram pelo menos 127 pessoas e deixaram mais de 300 feridos na noite da última sexta-feira (13) em Paris. Entre ações como auxiliar os feridos e acalmar os ânimos da população, as autoridades assumem como prioridade descobrir como os atos terroristas foram planejados. Agora, de acordo com a Forbes, a investigação pode acabar envolvendo um dos itens de entretenimento mais populares da atualidade: um PlayStation 4.

Na busca por pistas sobre os responsáveis dos atentados, a cidade de Bruxelas, na Bélgica, é apontada como um dos pontos estratégicos do grupo terrorista. O ministro interior do país, Jan Jambon, afirmou no último sábado (14) que os terroristas do Estado Islâmico poderiam ter usado o console da Sony para se comunicar e planejar os ataques.

Grupo terrorista que atacou Paris pode ter usado rede do PS4 para planejar os atentados.

Por que o PS4?

A escolha do PS4, o console mais popular atualmente, não foi por acaso. Segundo Jambon, essa decisão está apoiada na dificuldade em criptografar as informações do aparelho, o que favoreceria as ações do grupo. "O PlayStation 4 é ainda mais difícil de rastrear do que o WhatsApp", afirmou o ministro. A PlayStation Network, com mais de 110 milhões de usuários – pelo menos 65 milhões deles em atividade –, oferece várias opções de conversação entre os jogadores, como voz, textos, imagens e muitos outros métodos.

A prova de que esse tipo de mecanismo é efetivo e pode ter sido utilizado pelo Estado Islâmico é o caso envolvendo o vazamento de informações por Edward Snowden. Segundo os dados do delator, em 2013, as agências de inteligência norte-americanas NSA e CIA se infiltraram em um dos MMORPGs mais populares atualmente – o World of Warcraft – para investigar possíveis encontros entre terroristas.

Atualmente o console mais popular da indústria, PS4 pode ter sido usado pelos terroristas.

Possibilidades

Na época da chegada da atual geração de consoles, a privacidade dos usuários era uma preocupação constante na indústria. Havia o medo de o quanto as autoridades usariam os periféricos dos video games para espionar a vida dos jogadores, utilizando, por exemplo, a câmera e o microfone dos aparelhos. Por conta disso, medidas de segurança foram adotadas para limitar o controle sobre os dispositivos.

Contudo, por mais que a indústria se esforce para conter esse tipo de ação, os mal-intencionados utilizam até mesmo os métodos de comunicação mais rudimentares e óbvios possíveis. De acordo com as investigações, mensagens de voz e texto devem ter sido usadas pelos terroristas para se organizar e planejar os ataques.

Sony responde

Diante dessa situação, que poderia associar o console da Sony diretamente ao atentado terrorista, fez com que a empresa por trás do PS4 se pronunciasse e comentasse oficialmente sobre as recentes alegações. A companhia falou ao site Eurogamer:

"O PlayStation 4 permite a comunicação entre amigos e jogadores, e tal como todos os dispositivos modernos, existe potencial para o abuso. Contudo, assumimos com extrema seriedade a nossa responsabilidade de proteger os nossos usuários e pedimos que reportem atividades que possam ser ofensivas, suspeitas ou ilegais. Quando identificarmos tal conduta, estamos determinados a tomar as ações apropriadas juntamente com as autoridades indicadas. É isso que vamos continuar a fazer", disse um porta-voz da Sony.

Nota DefesaNet

Não é a primeira vez que equipamentos e softwares desenvolvidos para lazer foram usados em missões terroristas.

Nos ataques do 11 de Setembro, nos Estados Unidos foram empregados o sistemas da Microsoft, o Flight Simulator, para aperfeiçoarem as habilidades de pilotagem.

Agora o sistema de jogos Playstation 4 (PS4) da Sony está sendo mencionado como usado para comunicação entre as células terroristas que atacaram em Paris.

O editor

 



Outras coberturas especiais


Front Interno

Front Interno

Última atualização 19 AGO, 11:00

MAIS LIDAS

Cyberwar