COBERTURA ESPECIAL - Crise - Defesa

25 de Abril, 2017 - 11:15 ( Brasília )

AZEDO - - O General

Publicado na Coluna Entrelinhas no Correio Braziliense em 25 Abril 2017.


LUIZ CARLOS AZEDO
Publicado na Coluna Entrelinhas no Correio Braziliense


O GENERAL

A entrevista do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, publicada na revista Veja neste fim de semana, serviu para abortar a sua própria sucessão na Força, pondo fim a especulações acerca de suas condições de permanência no cargo por motivos de saúde.

“Fui acometido por uma doença degenerativa chamada doença do neurônio motor. Ela atingiu alguns grupos musculares. Estou com dificuldade para caminhar e com alguma dificuldade respiratória. Senti que, se não revelasse o que estava acontecendo, daria margem a mal-entendidos. Comecei a ver notícias de que eu estaria para ser exonerado ou que havia pedido para sair. Então, decidi ser transparente”, disse.

Ele já havia gravado um depoimento para falar sobre a questão, distribuído pelos canais oficiais do Exército, mas dessa vez resolveu falar para a opinião pública e para o mundo político, numa demonstração de que continua em plenas condições de liderar seus pares no alto-comando do Exército. Foi uma entrevista política, que também deve ser lida nas entrelinhas.

Villas Bôas enunciou a posição de princípios adotada pelo Exército em meio à crise ética, política e econômica, a parte mais importante da entrevista: “As nossas atitudes foram todas preventivas. Quando a coisa começou a ficar muito instável, nós logo definimos: vamos trabalhar com base em três pilares: primeiro, a estabilidade. Vamos contribuir para a manutenção da estabilidade e não ser um fator de instabilidade.

O segundo pilar era a legalidade. Poderíamos até ser empregados, mas seria com base no que é prescrito na Constituição — por iniciativa de um dos poderes. A nossa preocupação era que não viéssemos a ser penalizados novamente, conforme a história nos ensinou. O terceiro pilar era a legitimidade. Tínhamos de preservar uma imagem de isenção e imparcialidade porque, caso fôssemos empregados, não poderíamos ser identificados como tendentes a um ou outro lado.”

Nota DefesaNet

Íntegra da entrevista do Gen Ex Eduardo Villas Bôas à VEJA:

Gen Ex Villas Boas - O Protagonista Silencioso VEJA Link







Discurso do Gen Ex Villas Boas pela Comemoração do Dia do Exército Brasileiro, 19 Abril 2017, Brasília DF.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Prosub

Prosub

Última atualização 20 AGO, 18:00

MAIS LIDAS

Crise

3