COBERTURA ESPECIAL - Crise - Aviação

19 de Janeiro, 2017 - 09:00 ( Brasília )

Boeing 767-300ER da Latam Airlines é atingido por tiro na asa esquerda

Companhia diz que disparo não prejudicou a segurança de sua operação. Caso será investigado pela Agência Nacional de Aviação Civil e pela PF.



Funcionários do Centro de Manutenção da Latam em São Carlos (SP) descobriram nesta semana, durante uma revisão programada, que um dos modelos da companhia foi atingido na asa esquerda por um projétil calibre 7.62mm, munição usada em diferentes tipos de armas.

Em seu último voo comercial, no dia 14 de janeiro, o Boeing 767-300ER de matrícula PT-MSY saiu de Barcelona rumo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, com escala no Rio de Janeiro, e, segundo a companhia, não é possível especificar em que ponto da rota o modelo foi atingido.

A assessoria da empresa afirmou que está apurando a ocorrência e que o tiro não afetou o voo, não sendo notado por nenhum passageiro ou tripulante. "A Latam reforça que a ocorrência não comprometeu a segurança de sua operação, um valor imprescindível para a companhia", informou.

Disse ainda que já notificou a Polícia Federal e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) sobre o ocorrido e colabora com as investigações.

Autoridades

A Anac informou que tomou ciência do ocorrido por meio de contato com a área de segurança da Latam e que, devido à excepcionalidade do caso, "acompanha as investigações conduzidas pelo Departamento de Polícia Federal, prestando todo o auxílio necessário".

ANAC investiga disparo de fuzil contra avião
que pousou no Galeão, Rio

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) investiga se um Boeing 767 da Latam foi atingido por um disparo de calibre 7.62, de fuzil ao se aproximar do Aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

A Latam afirmou em nota que o avião foi atingido por um tiro, mas que não tem como confirmar o dia e se realmente o caso ocorreu no Rio de Janeiro. A aeronave está em uma manutenção de rotina no centro de manutenção da companhia, em São Carlos, no interior de São Paulo.

A empresa afirmou que notificou a Anac e a Polícia Federal sobre o caso e está colaborando com as investigações das autoridades. A Latam esclarece que o disparo não chegou a comprometer a segurança do voo.

A ANAC, por sua vez, afirmou também em nota que tomou ciência do ocorrido por meio da Latam e que está acompanhando as investigações da PF, prestando a ajuda necessária para as autoridades policiais.
 

Veja a nota da LATAM na íntegra:

Durante a madrugada apuramos que procede a informação sobre o disparo, no entanto não há como confirmar o dia e se realmente foi no Rio de Janeiro, pois a aeronave está em manutenção programada (de rotina) há alguns dias no centro de manutenção da companhia em São Carlos, interior de São Paulo.

A LATAM Airlines Brasil confirma e segue apurando a ocorrência. A empresa já notificou a Polícia Federal e a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) sobre o ocorrido e colabora com as investigações das autoridades.

A LATAM reforça que a ocorrência não comprometeu a segurança de sua operação, um valor imprescindível para a companhia.


Veja a nota da ANAC na íntegra:

Sobre o caso citado, a ANAC informa que tomou ciência do ocorrido por meio de contato com a área de segurança da LATAM. Devido a excepcionalidade do caso, a Agência acompanha as investigações conduzidas pelo Departamento de Polícia Federal, prestando todo o auxílio necessário.


Nota DefesaNet

A nota da ANAC é o exemplo do autismo administrativo. A ANAC sabe que são recolhidas semanalmente uma grande quantidade de projetis sob as pistas do aeroporto do Galeão. A ação no Complexo da Maré tinha dois objetivos básicos durante o período da Olímpiada:

1 - Manter abertas as rotas de fluxo ao Aeroporto do Galeão (Av. Brasil e Via Amarela), e,

2 - E o mais importante manter a operação do Galeão em segurança.

Há alguns anos uma aeronave da American foi atingida próxima à cabine dos pilotos.

O editor


 



Outras coberturas especiais


Doutrina Militar

Doutrina Militar

Última atualização 17 AGO, 00:45

MAIS LIDAS

Crise

3