COBERTURA ESPECIAL - Expansão Chinesa - Geopolítica

09 de Janeiro, 2017 - 02:00 ( Brasília )

Su-35 - Último caça a ser importado pela China (?)

A Aviação do PLA confirma receber os primeiros 4 Sukhoi Su-35 produzidos na Rússia no fim de 2016. Mas envia alertas para a Rússia



China Mil

 
Os militares chineses confirmaram que receberam quatro caças russos Sukhoi Su-35, de 4++ geração, no final de dezembro, mas alertaram que o Su-35 poderia ser o último avião de combate que a China importaria graças a seus próprios avanços de defesa.

O site do Exército Popular de Libertação, 81.cn, disse recentemente que com o comissionamento do caça "stealth" J-20,  desenvolvido inteiramente na China, a Rússia entendeu, que o Su-35 "perderá seu valor no mercado chinês em futuro próximo" Por isso a Rússia estava ansiosa para completar o negócio Su-35. O Su-35 é o avião de combate mais avançado da Rússia em uso.

O artigo também se vangloria de o O Exército Popular de Libertação (PLA) já não precisar de mísseis russos de defesa aérea ou aviões de transporte, porque agora tem o sistema de míssil terra-ar HQ-9B de longo alcance e o avião de transporte estratégico Y-20 Kupeng.

"Portanto, esperamos que caça Sukhoi Su-35 será o última aeronave (de combate), que a China importará", disse.

Esta é a primeira vez que as forças armadas chinesas confirmaram entregas do Sukhoi Su-35.



Primeiros 4 caças Sukhoi Su-35 4++ Geração, de uma encomenda de 24 aeronaves chegaram à China em Dezembro.


No final de dezembro de 2016, alguns entusiastas militares chineses postaram uma foto do que eles disseram ser um Su-35 com as cores da Força Aérea do PLA voando sobre uma base aérea militar na China, provocando um debate sobre se as entregas da aeronave tinham começado.

Em novembro de 2015, Sergey Chemezov, diretor executivo da ROSTEC, empresa estatal de tecnologia  de defesa da Rússia, disse que a Rússia e a China assinaram um contrato estimado em US $ 2 bilhões para 24 Su-35. O acordo foi confirmado mais tarde por Wu Qian, um porta-voz do Ministério da Defesa da China.

A agência de notícias russa TASS citou uma fonte não identificada no sistema de cooperação militar-técnica internacional da Rússia, que relatou em meados de dezembro que as primeiras entregas da aeronave estavam agendadas para 2017, mas que "finalmente foi tomada a decisão de acelerar o processo e fornecer a Primeiro lote nos últimos dias "de 2016.

O Su-35 tem empuxo vetorial nos gases dos escape dos motores o que aumenta a manobrabilidade, e um radar AESA(?), que tem um desempenho otimizado contra aeronaves discretas “stealth”. Com uma velocidade máxima de 2.500 km / h e pode voar 3.400 km sem reabastecimento, de acordo com a TASS. O caça está armado com um canhão de 30 mm e tem 12 pontos fixos para levar bombas ou mísseis.



O Chengdu J-20 caça stealth apresentado em Novembro 2016 onde a China aposta o futuro de sua aviação de caça.


China comprou um grande número de Su-27 e Su-30 aviões de combate multimissão “multirole” da Rússia na década de 1990 e início de 2000. A China também construiu variantes licenciadas. Estes planos de Sukhoi são um pilar da força aérea de PLA e da asa da aviação da marinha de PLA.
 
Wang Ya'nan, editor-inchief do Aerospace Knowledge, disse ao China Daily que o Su-35 ajudará o PLA a preencher a lacuna antes que ela tenha J-20s suficientes. Ele disse que a nova adição também irá facilitar os esforços da China para atualizar seus atuais jatos Sukhoi.


O avião de transporte Y20, chamado Kupeng, ave mítica da China, também chamado de Fat Lady, pelas suas dimensões. Capacidade de carga 66 toneladas. Entrou em serviço em julho de 2016.


Nota DefesaNet:

O tom ufanista do artigo da China Military e as mensagens enviadas para a Rússia merecem algumas análises.

A compra de 200 Su-27 na década de 90 foi interrompida com cerca de 100 aeronaves produzidas na China. Os esforços abertos dos chineses de realizarem ações de engenharia reversa para absorverem as tecnologias russas criaram um enorme conflito.

Após uma grande análise interna os russos decidiram progredir com os contratos, pois era melhor faturar logo as necessárias divisas para desenvolver o caça de quinta geração T-50, pois de qualquer maneira os chineses chegariam lá no futuro.

Uma das grandes necessidades dos chineses são os motores.  Quando iniciaram as discussões em 2012 a China queria comprar 4 Su-35 e vários motores. Certamente para tentar mais uma “engenharia reversa”.

Dados Técnicos:

Caça multimissão Sukhoi Su-35 4++ geração.

A empresa KRET desenvolveu a tecnologia “glass cockpit” do Su-35. A KRET também desenvolveu plataformas inerciais avançadas que permitem a navegação sem o apoio de satélites tipo GPS ou GLONASS.

Um ponto que os russos diferem do anunciado pela imprensa chinesa é que o SU-35 não é equipado com um radar pleno AESA.

O seu radar Irbis desenvolvido pela KRET, que incorpora conceitos do Phased Array   tem um alcance de 400km.

Os motores de alto rendimento do Su-35 incorporam inúmeros avanços sobre os do Su-27. Eles foram projetados e produzidos pela NPO Saturn, e são chamados de "117S".

A Força Aérea da Rússia deverá receber 96 Su-35 antes de 2020. Atualmente já recebeu 48 aeronaves.

Matéria Relacionada

Recomendamos a leitura da matéria (em inglês):
 
Will Russia-US relations embrace a "honeymoon"? Link


Outra Matéria

A modernização militar Chinesa e a relação com os EUA ESG Dezembro 2016 Link



Outras coberturas especiais


LAAD 2017

LAAD 2017

Última atualização 28 MAR, 14:00

MAIS LIDAS

Expansão Chinesa