COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Aviação

21 de Fevereiro, 2019 - 10:00 ( Brasília )

IACIT inicia a instalação do sistema SCCE 0100 em 17 radares meteorológicos da FAB

Sistema elimina interferências nos radares, aumentando a confiabilidade para uso dos dados no Sistema de Tempo Severo Convectivo, permitindo identificar chuvas intensas que comprometem a segurança de voos

A IACIT, empresa brasileira com atuação consolidada no desenvolvimento de produtos e serviços de alta tecnologia, iniciou neste mês de fevereiro a instalação do sistema SCCE 0100 nos 17 radares meteorológicos da Força Aérea Brasileira (FAB), que cobrem o território nacional.

Além dos sistemas para os 17 radares, a empresa também entregará outros quatro SCCE 0100 nos CINDACTA (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) 1, 2 e 4 e no PAME-RJ (Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de Janeiro).

Todos os 21 sistemas SCCE 0100, desenvolvidos e fabricados pela IACIT passaram, recentemente, com sucesso, pelos testes de aceitação em fábrica (FAT).

O SCCE 0100 atende a uma demanda da FAB, para garantir a confiabilidade dos dados transmitidos pelos Radares Meteorológicos que alimentam o Sistema de Tempo Severo Convectivo. Esse sistema mostra onde há chuvas de grande intensidade e que podem comprometer a segurança de voos. Hoje, além dos dados do Radar Meteorológico, é necessário cruzar informações com sistemas que identificam descargas elétricas, para determinar onde estão ocorrendo as chuvas de grande intensidade.

O SCCE 0100 baseia-se no conceito DBF (Digital Beamforming), de detecção e processamento de dados digital, com o uso de oito antenas de recepção, para identificar de onde está vindo um sinal de RF (radiofrequência), para, assim, poder eliminar esses dados do radar. O mesmo conceito já havia sido adotado para o único Radar OTH (Over the Horizon) da América Latina, também de fabricação da IACIT.

“A IACIT aproveitou o know how adquirido com o desenvolvimento e manutenção de radares meteorológicos e com o desenvolvimento do Radar OTH para chegar a essa solução inovadora”, destaca o Diretor de Projetos da empresa, Gustavo Hissi.

Transbordo de tecnologia
O conceito DBF empregado no SCCE 0100 e no Radar OTH é uma das especialidades da IACIT, que acumula mais uma diferenciação no mercado de alta tecnologia. Com tal domínio, a empresa brasileira tem capacidade de desenvolver outras soluções nas áreas de defesa e segurança pública, que requerem a identificação de sinais interferidores. Ao adotar tais tecnologias, integradas com dados de inteligência, é possível identificar de onde estão partindo determinados sinais. Em cenários de guerra, pode-se usar para identificar onde estão tropas e equipamentos inimigos. Na área de segurança pública, por exemplo, pode-se combater sistemas que interferem no sinal de GPS e de celulares, usados por quadrilhas de roubo de cargas.

“São muitas as possibilidades de aplicação de tal tecnologia e a IACIT sai na frente com um grande conhecimento acumulado e equipe especializada para desenvolver projetos como esse do SCCE 0100, customizados para atender a uma demanda específica”, conclui Hissi.
 
Sobre a IACIT
Certificada pelo Ministério da Defesa como Empresa Estratégica de Defesa (EED), a IACIT vem atuando há mais de 32 anos em projetos ligados ao setor. Com a criação do Departamento de Engenharia de Pesquisa e Desenvolvimento e a implantação de uma unidade fabril há 10 anos, a empresa ampliou o portfólio de produtos e serviços. Atualmente, a IACIT é a única empresa brasileira fabricante de auxílios à navegação aérea, e fabrica também radares meteorológicos, radares Oceânicos, radares para Vigilância Marítima – OTH, sistemas de telemetria e telecomandos e equipamentos e soluções de contramedida eletrônica aplicadas à segurança pública e defesa.

Possui uma estrutura de engenharia certificada para o desenvolvimento de soluções tecnológicas complexas tanto para hardware como para software, tendo lançado recentemente produtos meteorológicos de software baseados em redes neurais artificiais (RNA) para aplicação na gestão do tráfego aéreo, proporcionando grandes benefícios para navegação em rota e pouso de aeronaves.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Guerras Híbridas Latinas

Guerras Híbridas Latinas

Última atualização 13 NOV, 00:50

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa